"Atuais condições climáticas são positivas para MS", afirma presidente da Aprosoja/MS

Publicado em 13/01/2017 13:58
86 exibições

As chuvas estão satisfatórias e contribuem com o desenvolvimento da safra 2016/2017 de soja no estado, de acordo com a Circular Técnica nº 191, do Sistema de Informações Geográficas do Agronegócio (Siga MS). O levantamento, o primeiro divulgado em 2017 pela Associação dos Produtores de Soja de Mato Grosso do Sul (Aprosoja/MS), ainda detalha as condições climáticas registradas em dezembro passado nas lavouras de MS. As informações completas da Circular Técnica podem ser obtidas por meio de cadastro gratuito no link: http://www.sigaweb.org/ms/sistema/.

Segundo a circular, o último mês de 2016 foi caracterizado pela ocorrência de pancadas de chuva localizadas, acompanhadas de descargas elétricas e rajadas de vento, resultado de instabilidade que vem definindo as condições do tempo em todo o estado de Mato Grosso do Sul.

Para os três primeiros meses de 2017, segue a tendência de chuvas abaixo da normal climatológica nas biorregiões de Dourados e Naviraí, e chuvas acima ou cravadas na média histórica nas biorregiões de Paranaíba e São Gabriel do Oeste. Sendo assim, de acordo com o prognóstico climático, o mais provável é que o clima, assim como as chuvas, estejam dentro da faixa normal histórica para os meses de janeiro, fevereiro e março.

Otimismo climático

Se essa estimativa climática se confirmar, as condições para a fase final de desenvolvimento das lavouras de soja e para a colheita da oleaginosa serão altamente favoráveis para os campos sul-mato-grossenses.

“A agricultura depende totalmente do clima e, agora, grande parte da soja nas propriedades do estado estão em fase final de enchimento de grão. Essa é uma fase em que a soja precisa de muita água para alcançar seu potencial de produtividade e, por isso, depende diretamente da boa regularidade de chuvas”, explica o presidente da Aprosoja/MS, Christiano Bortolotto.

“Se observarmos as atuais condições climáticas, temos um cenário positivo e podemos esperar uma colheita recorde para o estado, assim como a Aprosoja/MS já projeta, de 7,8 milhões de toneladas”, completa Bortolotto.

Ainda segundo o presidente, a colheita em Mato Grosso do Sul começará nos próximos dias, sendo que o maior volume de soja deve ser retirado das lavouras a partir do dia 25 de janeiro.

Tags:
Fonte: Aprosoja MS

0 comentário