Tempo: Chuva diminui no Sul nesta 2ª, mas retorna rápido; alerta do Inmet segue em áreas do Sudeste e Centro-Oeste

Publicado em 11/03/2019 11:08 e atualizado em 11/03/2019 14:18
1239 exibições

​Imagem de satélite de todo o Brasil nesta segunda-feira (11) - Fonte: Inmet
Imagem de satélite de todo o Brasil nesta segunda-feira (11) - Fonte: Inmet

LOGO nalogo

Após altos acumulados no final de semana, inclusive com danos em diversas cidades, as chuvas já diminuem consideravelmente neste início de semana sobre a região Sul do Brasil. Por outro lado, as precipitações seguem sobre localidades do Sudeste, com alerta de perigo.

As precipitações registradas na região Sul nos últimos dias tinham potencial de impactar os trabalhos de colheita da soja. No entanto, produtores ainda terão momentos de tempo firme para os trabalhos. No Paraná, o Deral (Departamento de Economia Rural) aponta trabalhos em 51% da área.

Tempestade próxima de Passo Fundo/RS, foto do Engenheiro Agrônomo Carlos R. Dellavalle Filho.
Tempestade próxima de Passo Fundo/RS, foto do Engenheiro Agrônomo Carlos R. Dellavalle Filho

Após pontos de alagamentos, deslizamentos e mortes, áreas da capital paulista e outros pontos da região Sudeste, ainda devem sentir no dia áreas de instabilidade decorrentes da passagem de uma frente fria no último domingo (10). Mas o pior já passou, segundo a Climatempo.

Leia mais:
» No Estadão: Fortes chuvas causam mortes na Grande SP e rodízio é suspenso na capital paulista

"A situação é crítica em áreas das zonas sul e leste da capital, na zona sul e no litoral norte de São Paulo por causa de alagamentos, enchente e queda de barreiras nas estradas. Ainda tem previsão de chuva para hoje e para os demais dias da semana em todo o estado de São Paulo", ressaltou a empresa.

Além das chuvas na região Sudeste nesta segunda, áreas mais centrais e Norte do país, instabilidades estão presentes, segundo apontam imagens de satélite do Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia). Mas a situação mais crítica será na região Sudeste

De acordo com o modelo Cosmo do Inmet, as chuvas nos próximos dias ainda devem voltar forte sobre localidades da região Sul do Brasil. Além disso, nos próximos dias, as precipitações também seguem concentradas sobre áreas mais centrais do país.

Veja o mapa com a previsão de precipitação acumulada para até 174 horas (12/03 a 18/03) em todo o Brasil:

Mapa com a previsão de precipitação acumulada para até 174 horas (12/03 a 18/03) em todo o Brasil - Fonte: Inmet
Fonte: Inmet

O Inmet alerta para o perigo e perigo potencial em algumas áreas com as chuvas nesta segunda-feira em áreas do Distrito Federal e os estados de Goiás, Mato Grosso, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Rondônia e São Paulo. Na maior parte de Minas, as precipitações ficam entre 20 a 30 milímetros por hora ou até 50 mm/dia.

Veja o mapa das áreas com alerta de chuvas nesta 2ª feira:

Mapa das áreas com alerta de chuvas nesta 2ª feira - Fonte: Inmet
Fonte: Inmet

Produtores de café em Minas Gerais acompanham atentamente as chuvas no estado uma vez que a safra 2019/20 de café está em desenvolvimento e já será de bienalidade negativa. O estado também produz grãos e as precipitações podem afetar os trabalhos de colheita.

No estado de São Paulo, o Inmet emitiu quatro avisos de condição adversa nesta segunda, todos em áreas mais ao Leste. Em determinadas áreas, as chuvas podem ficar entre 30 a 60 mm/h ou 50 a 100 mm/dia. Há risco de alagamentos, deslizamentos de encostas e transbordamentos de rios.

De acordo com a Climatempo, no domingo, foram mais de nove horas de chuva forte na Grande São Paulo e mais de 100 mm em 12 horas. "O volume de chuva extremamente elevado e generalizado ocasionou o transbordamento de vários rios e córregos na Grande São Paulo", destacou a empresa meteorológica.

Volume de chuva sobre São Paulo entre 10 e 11 de março de 2019 - Fonte: Climatempo
Volume de chuva sobre São Paulo entre 10 e 11 de março de 2019 - Fonte: Climatempo

Também há aviso de condição adversa em áreas de Rondônia, Mato Grosso, Goiás, Distrito Federal e Rio de Janeiro.  "Chuva entre 20 a 30 mm/h ou até 50 mm/dia", disse o instituto meteorológico brasileiro. No entanto, é baixo o risco de alagamentos e pequenos deslizamentos.

Nos últimos três dias, segundo o mapa de precipitação acumulada do Inmet, as chuvas mais fortes ficaram concentradas sobre áreas ao Oeste do país. No domingo (10), os três maiores acumulado foram registrados em Tarauaca (AC): 109,2 mm, Bom Jardim da Serra (SC): 92,2 mm e Iguapé (SP): 91,8 mm.

Veja o mapa com a precipitação acumulada nos últimos 3 dias no Brasil:

Mapa com a precipitação acumulada nos últimos 3 dias no Brasil - Fonte: Inmet
Fonte: Inmet

Previsão estendida de chuvas para o Brasil

De acordo com o mapa de previsão estendida do centro de previsão da Administração Oceânica e Atmosférica Nacional (NOAA, na sigla em inglês), no período de 11 até 19 de março, as chuvas caem sobre a maior parte do Brasil, com exceção de algumas áreas do Nordeste e sertão nordestino.

De 19 de março até 27 de março, as precipitações se concentram sobre áreas do Centro-Norte do Brasil, mas também ocorrem em alguns pontos do Sudeste. Áreas da região Sul, Centro-Oeste e Nordeste terão uma condição mais seca no período. Esse mapa de tendência pode sofrer mudanças.

Veja o mapa com a tendência de precipitação acumulada para o período de 11 de março até 27 de março:

Mapa com a tendência de precipitação acumulada para o período de 11 de março até 27 de março - Fonte: National Centers for Environmental Prediction/NOAA
Fonte: National Centers for Environmental Prediction/NOAA

Marta Wenzel, agricultora de Guaira Paraná.
Marta Wenzel, agricultora de Guaira Paraná.

Finalizando colheita na faz. Vila Nova, São José do Rio Claro MT.
Finalizando colheita na faz. Vila Nova, São José do Rio Claro MT.

Milho Safrinha Penduado na boneca Itaipulândia PR
Milho Safrinha Penduado na boneca Itaipulândia PR

Envie sua foto ou vídeo! Fale com a gente pelo WhatsApp (19) 99767-0241

» Clique e veja mais informações a página de Clima e acompanhe cinco satélites em tempo real

Por: Jhonatas Simião
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário