Sul da América do Sul terá sistema de informação sobre secas (MAPA)

Publicado em 25/04/2019 10:36
103 exibições
Ministério da Agricultura participa de lançamento do projeto do BID em Assunção, no Paraguai

Os países do sul da América do Sul terão um sistema regional de informação sobre as secas que impactam a produção agropecuária e podem causar prejuízo aos agricultores. Projeto desenvolvido e aprovado pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) foi lançado nesta quarta-feira (24), em Assunção, no Paraguai, em evento com a participação de Pedro Loyola, diretor do Departamento de Gestão de Risco da Secretaria de Política Agrícola do Ministério da Agricultura.

A finalidade do sistema é fornecer observações sobre o impacto das secas na região e gerar um espaço de diálogo político regional para reduzir os riscos. De acordo com Pedro Loyola, “as secas têm grande impacto social e econômico no sul do continente, especialmente na produção agrícola e pecuária. A iniciativa está alinhada com a política integrada de gestão de riscos que o ministério está construindo.”

O projeto “Desenho e Implementação de Sistema de Informação sobre Secas para o Sul da América do Sul (Sissa)" será coordenado pelo Centro Regional Climático para o Sul da América do Sul (CRC SAS), sendo integrado por serviços meteorológicos, instituições de política agrícola e de pesquisa e organizações de gerenciamento de risco da Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Paraguai e Uruguai.

Para Loyola, “a iniciativa é importante porque cada país tem seus próprios sistemas de informação sobre secas, e alguns têm políticas e instrumentos que usam a informação meteorológica e de monitoramento do clima para reduzir impactos e melhorar a previsão de eventos futuros”.

No encontro, realizado no escritório do BID em Assunção, o diretor falou sobre programas do Mapa como o Garantia Safra, o Proagro, o Programa de Subvenção ao Prêmio do Seguro Rural, além do Zoneamento Agrícola e Risco Climático (Zarc). “Houve grande interesse dos países participantes do encontro em relação ao Zarc”, segundo Loyola.

Fonte: MAPA

Nenhum comentário