La Niña pode causar interferências na agricultura

Publicado em 13/09/2010 09:06
1254 exibições
O ano de 2010 começou sob o domínio de um forte efeito El Niño, onde o aquecimento das águas do Oceano Pacífico contribuiu para um mês de janeiro com muita chuva no Sul do Brasil. Segundo o chefe do escritório municipal da Emater/RS-Ascar de Sinimbu, Carlos Corrêa da Rosa, o fenômeno perdeu força e agora o clima começa a sofrer a influência do La Niña, que promove a irregularidade da chuva no Centro-Sul do Brasil, com precipitações intercaladas com períodos de estiagem. Isso deve acontecer entre os meses de setembro e fevereiro, coincidentemente no período onde os agricultores da região efetuam o plantio de milho, feijão e demais culturas de subsistência.

A partir desses prognósticos climáticos, Rosa acredita que seria importante que os produtores adotassem como estratégia o plantio de milho e feijão em diferentes períodos, com o objetivo de evitar a concentração da área plantada. No plantio de 20 quilos de milho, por exemplo, o recomendável seria a semeadura de dez quilos em setembro, cinco quilos em outubro e outros cinco em novembro. Caso haja disponibilidade de área para o plantio na safrinha ou na resteva do fumo, o ideal é fazer escalonado a partir do mês de janeiro. Com isso, a dependência de chuvas regulares é menor, o que diminui os riscos na colheita.
Tags:
Fonte: Gazeta do Sul

Nenhum comentário