Chuva volta e produtor prepara o solo

Publicado em 06/10/2010 10:17
259 exibições
Para dar tempo de cultivar também a safrinha, sojicultor tem pressa em semear plantio de verão.
Choveu praticamente toda a semana, em vários municípios analisados. Os maiores volumes foram registrados em Presidente Prudente, com 242 milímetros e Jaboticabal, com 139 milímetros. Piracicaba já acumulou mais de 100 milímetros nas duas últimas semanas. Com esses valores, o solo recuperou rapidamente a umidade e já está com 100% de sua capacidade, nesses municípios. Entretanto, as chuvas foram mal distribuídas e nem todas as regiões se recuperaram da prolongada estiagem.

Em Taubaté e Sorocaba, melhorou a umidade do ar, mas o solo ainda está com a capacidade de armazenamento de água inferior a 10%. As demais regiões estão entre 50% e 90%. Com as chuvas, as temperaturas máximas diminuíram.

Pasto recuperado. As chuvas mais constantes dos últimos dias favorecem os pecuaristas de quase todas as regiões, pois os pastos começam a se recuperar e em breve já haverá pasto nos campos, dispensando o uso de alimentação suplementar, diminuindo o custo com a alimentação. Além do mais, foi gasta maior quantidade de feno e silagem e com isso os estoques já estão escasseando, situação bem diferente do ano passado, em que as chuvas mantiveram os pastos e houve menor consumo de alimentação suplementar.

As chuvas beneficiam os cafezais e pomares de laranja de todo o Estado, minimizando o estresse causado pela deficiência hídrica prolongada e garantindo a floração para a produção da próxima safra. A regularidade das chuvas é fundamental para garantir a evolução da florada.

Nos canaviais de Piracicaba e Ourinhos a situação é semelhante, com umidade suficiente para a rebrota das áreas já colhidas, mas com dificuldade para o trabalho de colheita e transporte da cana-de-açúcar, o que já reflete nos preços do etanol para o consumidor.

Os níveis atuais de umidade do solo já permitem o preparo do solo com excelentes condições de manejo. Apenas em alguns municípios, como Taubaté e Sorocaba, a umidade ainda não é suficiente iniciar as atividades de plantio da safra de verão. Em Barretos, Ribeirão Preto e Assis, os produtores de soja esperam que a chuva continue para que a semeadura possa ser feita o mais cedo possível; com isso, eles têm tempo hábil para o plantio da safrinha, o que garante duas safras agrícolas na mesma área por ano.

Segue a colheita da melancia na região de Presidente Prudente e do feijão em Itapeva.
Tags:
Fonte: Folha de São Paulo

Nenhum comentário