Alterações do clima vão mudar o mapa da agricultura nacional

Publicado em 18/03/2011 11:05 e atualizado em 18/03/2011 15:17 1587 exibições
O auditório do parque da Expodireto Cotrijal, em Não-Me-Toque, no Rio Grande do Sul, ficou lotado de produtores rurais interessados em saber mais sobre o futuro da agricultura brasileira. Não é de hoje que o clima preocupa quem vive no campo.

– E agora ele está diferente. É mais chuva, mais seca e o sol parece mais forte também. Mudou muita coisa – afirmou o produtor gaúcho Elio Coacosqui.

O que os agricultores descobriram na prática, com anos e anos de trabalho, estudiosos estão comprovando depois de muita pesquisa.

– A nossa realidade vai mudar. Algumas regiões, hoje muito frias, de repente vão ficar um pouco mais quentes. Culturas que eram impossíveis de ser plantadas, passarão a ser possíveis. Em outras regiões, onde as culturas de verão ainda conseguiam produzir alguma coisa, de repente vão passar a ter problemas de deficiência hídrica – disse o chefe de pesquisa e desenvolvimento da Embrapa Soja José Renato Farias. Para ele, a migração para outros lugares, com maior disponibilidade de água, vai ser inevitável, segundo o pesquisador.

O fórum apresentou os resultados do projeto Lavouras do Brasil, do Canal Rural. Durante seis meses, foram monitoradas lavouras experimentais no Mato Grosso e no Paraná. O programa acompanhou como as plantações seguiram práticas de cultivo recomendadas para o período do fenômeno La Niña. Tudo foi exibido ao vivo, 24 horas por dia, através da internet.

O consultor do projeto Lavouras do Brasil, o engenheiro agrônomo Aureo Lantmann, disse que a atuação do La Niña acabou surpreendendo os produtores. A estiagem prevista no ano passado atingiu com menos intensidade o sul do país. Mesmo assim, o cuidado com a plantação serviu como experiência para as próximas safras.

– Quanto mais o produtor entender o clima, mais seguro ele vai ficar. A gente vai poder predizer com mais intensidade a hora, o momento da semeadura, em função de fenômenos climáticos. Isto está evoluindo cada vez mais. A gente pode perceber mais quando vai chover, quando não vai, o que efetivamente ajuda muito o agricultor na tomada de decisões – concluiu ele.

Concurso cultural
Ainda no evento foram divulgados os nomes dos dois vencedores do concurso cultural “Blogs da Soja”, promovido pelo projeto Lavouras do Brasil. Cristiane Severgnini, estudante de Agronomia da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), e José Domingos Lemos Teixeira, do curso de Agronomia da Universidade de Cruz Alta (Unicruz), ganharam uma viagem para os Estados Unidos para conhecer fazendas de soja do país, acompanhados por técnicos da Aprosoja.

Na etapa final, cinco blogueiros estavam participando da competição, contando as condições e a evolução das lavouras de soja em fazendas de Joia (RS), Sorriso (MT), Viçosa (MG), Tupãssi (PR) e Campo Mourão (PR). As postagens avaliadas foram feitas de novembro de 2010 a março de 2011.

Tags:
Fonte:
Canal Rural

1 comentário

  • Telmo Heinen Formosa - GO

    A Embrapa não é mais a mesma. Perdeu totalmente a credibilidade quando escreveu que a eructação (arrôto) e a flatulência (peidos) do nosso gado causam mais poluição do que todos os motores em funcionamento no Brasil. Quem quiser conferir esta aberração é só consultar o Inventário Brasileiro de Emisões Antrópicas e de Efeito Estufa disponivel no site do Ministério da Ciência e Tecnologia. Certamente as ongues internacionais aliadas aos PTralhas conseguiram infiltrar sua gente nesta instituição para atestar uma 'meia verdade' destas. Para mim meia verdade é sempre uma mentira completa. A tese do conceito para o cálculo está errada. O capim que uma vaca come, arrota e defeca depois de menos de 30 dias cresceu tudo novamente e para tal reabsorveu todo Gás Carbônico produzido. Não se pode simplesmente multiplicar os 200 litros diários de gases produzidos por uma vaca por 365 dias do ano, pela singela razão que o capim 'recresceu' várias vezes.... Este é o abobalhamento midiático ao qual estamos sujeitos todos os dias, lentamente... tanto é que já são 96% os brasileiros T O L O S.!!!

    0