Frio ameaça produção no campo do RS

Publicado em 27/06/2011 07:27 283 exibições
A onda de frio intenso que se avizinha - a previsão da MetSul é de geada e temperatura negativa até a metade da próxima semana - deve impactar negativamente a agricultura e pesar no bolso do consumidor. Hortaliças folhosas, expostas a refrigeração natural do ambiente, são as mais afetadas e as que apresentam efeito quase imediato por sua distribuição diária em feiras e supermercados. A produção de leite também é séria candidata a enfrentar problemas devido à carência nutricional causada as vacas.

Basta apenas uma noite de geada severa para matar pastagens de campo nativo ou de verão. Os pastos de inverno, como aveia e azevém são mais resistentes, ainda assim, dependendo do frio, também não escapam. No caso de geadas mais leves, o reflexo é a queima superficial do pasto, que ainda pode se recuperar.

Para manter as vacas em produção, o produtor precisa complementar a dieta dos animais com silagem e feno. Para os que não foram previdentes, o assistente técnico estadual da Área de Leite da Emater/RS, Breno Kirchof, dá algumas dicas de emergência para manter os animais vivos. A primeira opção é alimentá-los com palha de milho ou arroz ou mesmo o próprio pasto queimado, acrescentando uma mistura de melado e água para tornar a pastagem mais atrativa para o animal. Para quem esta no Litoral, também é possível alimentar o gado leiteiro com folhas de coqueiro trituradas. Segundo o técnico, a cera da folha tem alto teor energético, o que, em parte, compensa o fato da folha ser fibrosa, tornando a digestão bastante lenta.

Kirchof acrescenta que, após um período de desenvolvimento favorável das pastagens, a sucessão de dias sombrios tem como efeito a paralisação do crescimento do pasto devido à falta de fotossíntese da planta. "Vínhamos de um período de pasto muito bom e agora entramos numa fase crítica, mas quem foi previdente e estocou silagem não terá problemas."

Tags:
Fonte:
Correio do Povo

0 comentário