Chuva acima da média deixa pasto verde no agreste de Pernambuco

Publicado em 29/09/2011 08:39 182 exibições
Este ano, o período chuvoso começou mais cedo, em janeiro. Com o capim verde, produtores de gado compram menos ração.
Durante o segundo semestre, os criadores no agreste de Pernambuco, estão acostumados a ver uma vegetação bem mais seca. O gado estaria apenas no curral comendo ração e não pasto.

Normalmente, o período chuvoso nesta região do estado vai de março a julho. Este ano, a chuva começou mais cedo, em janeiro. O resultado é um capim verde e bonito, com economia para os produtores de gado, que estão comprando menos ração.

“No ano passado, comprava de seis a sete sacos de ração por semana. Até agora, ninguém gastou dinheiro”, diz o criador Zenon da Silva.

O volume de chuva em Caruaru costuma ficar na casa dos 674 milímetros. Este ano, de janeiro a setembro já choveu 900 milímetros.

“Desde o início do ano os institutos de meteorologia já haviam previsto uma chuva acima da média e havia um prolongamento do período chuvoso, que realmente aconteceu. O pecuarista, que geralmente tem seis meses de pastagem verde, esse ano tem nove meses. Isso significa menor custo de produção e maior lucro para o produtor. Ele terá mais 15 ou 20 dias de pastagem verde”, explica Fábio César, agrônomo do IPA, Instituto Agronômico de Pernambuco.

Tags:
Fonte:
Globo Rural

0 comentário