Relatório do Código Florestal não garante áreas consolidadas

Publicado em 16/03/2012 12:01 1390 exibições
O deputado federal Valdir Colatto (PMDB/SC) teve acesso na quinta-feira (15/3) ao relatório preliminar ao substitutivo aprovado no Senado e relatado na Câmara pelo deputado Paulo Piau. A expectativa do relatório de Piau era atender o apelo dramático dos pequenos agricultores. “Mas acabou frustrando a agropecuária, a maioria dos partidos e deputados da Câmara Federal e os pequenos produtores”, afirmou Colatto.

Para o parlamentar, embora engenheiro agrônomo, subscritor e defensor na tribuna do destaque 164 que garantiu as áreas consolidadas, aprovado na Câmara e modificado no Senado Federal, Piau deveria ter superado a pressão do Governo que defende o projeto do Senado que não contempla as áreas consolidadas em APP. “Agora ele poderá ser derrotado no Plenário por meio de destaques que serão apresentados retomando o artigo 62, parágrafos 1º, 2º e 3º e suprimindo os demais parágrafos, assim como outros artigos”, justificou.

Colatto destaca que a agricultura brasileira está preocupada em face das dificuldades que enfrentará se milhões de pequenos agricultores não mantiverem seus direitos adquiridos em áreas consolidadas. “Eles precisam da garantia de consolidação e do seu direito de continuar produzindo alimento ao povo brasileiro e para exportação, garantindo a balança comercial”, disse.

O vice-presidente da FPA destacou que “a expectativa era uma posição firme em defesa dos agricultores por parte do relator Paulo Piau, engenheiro agrônomo e pesquisador da Embrapa, que usaria seu conhecimento para convencer ambientalistas radicais que pensam que a comida nasce na prateleira do supermercado, e esquecem que se o agricultor não planta a gente não almoça e não janta”.

Fonte:
Ass. Imprensa Dep.Valdir Colatto

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

3 comentários

  • José Roberto de Menezes Londrina - PR

    Agrônomo de asfalto e com renda fácil de emprego publico não conhece o campo e os sistemas de produção. O CREA deveria cassar o diploma dos agrônomos que defendem a proibição do uso de terras produtivas e/ou a criminalização da agricultura brasileira. Quantos quilômetros quadrados de áreas de preservação permanente são necessários para purificar a vazão de um metro de diâmetro de esgotos, dos programas habitacionais do Governo Federal.

    0
  • amarildo josé sartóri vargem alta - ES

    Caro amigo João Batista, esse Código será o maior mico para o Governo brasileiro, que pensa estar dando uma lição no resto do mundo. Mas na prática, vai sentir na pele as conseqüências desastrosas que essa irresponsabilidade irá causar na economia, o fato de não considerar as áreas de APPs que estão sendo cultivadas a décadas como consolidadas. São milhares de hectares que deixarão de produzir alimentos. Hoje você disse a um produtor que deixar de produzir como forma de protesto não é a solução do problema. Também penso assim, mas se deixarmos de produzir em apenas cinco por cento das nossas propriedades, juntamente com os milhares de hectares em APPs que deixarão de produzir em função dessa falsa idéia apocalíptica dos ambientalóides viveremos realmente o caos. Enquanto isso, as ONGs hipócritas e seus financiadores estão morrendo de rir da nossa incapacidade de ver o que está por traz dessa campanha. Aos nossos Deputados, Senadores e ministros manipulados pelos espertos, só resta o nosso lamento, pois o resultado eles só perceberão nas urnas que estarão cheias de folhas verdes...Que decepção para os agricultores brasileiros!!!

    0
  • carlo meloni sao paulo - SP

    o INCRA manda plantar e quer indices eficientes o MMA manda

    desplantar e quer mato nativo em todo canto, e' o samba do criolo

    doido do governo.

    0