Com novo Código Florestal, será preciso reflorestar cerca de 30 milhões de hectares, diz ministro do Desenvolvimento Agrário

Publicado em 05/06/2012 13:59 1393 exibições
Área representa pouco mais da metade do espaço usado hoje para plantio.
O ministro do Desenvolvimento Agrário, Pepe Vargas, disse nesta terça, dia 5, que, de acordo com o novo Código Florestal Brasileiro, será necessário reflorestar cerca de 30 milhões de hectares de terras. Para fazer uma comparação, a área plantada com grãos na safra 2011/2012 alcançou 51 milhões de hectares. Apesar do tamanho da área, o ministro disse que nenhum produtor terá sua propriedade inviabilizada economicamente e disse contar com a conscientização da população e dos produtores.

— A gente conta com o processo de educação ambiental, em que as pessoas compreendam e o agricultor também compreenda que a preservação do meio ambiente também é um ativo da sua propriedade — disse Vargas.

Em relação às mais de 600 emendas recebidas pela Secretaria de Comissões Mistas do Senado com sugestões de mudanças no texto da Medida Provisória que pretende acabar com as brechas deixadas pelos vetos ao texto do novo Código Florestal, o ministro disse que o governo respeita o processo democrático e que qualquer contribuição que sirva para aperfeiçoar será aplaudida, mas espera que não seja criado um novo impasse.

— Há os que desmataram e os que preservaram. Não podemos configurar anistia — explicou o ministro, dizendo também que os agricultores que não aderirem no plano de recomposição não devem receber financiamentos do Estado.

Sobre reforma agrária, criticou a demora para se julgar a ação direta de inconstitucionalidade (Adin) para reduzir os juros compensatórios de 12% pagos na desapropriação de terras.

— Essa Adin está tramitando há 10 anos. Com toda a redução da taxa Selic, com toda adaptação do sistema financeiro, pagar 12% de juros compensatórios é um acinte. Assim, vale a pena ser desapropriado, remunera melhor do que qualquer fundo de investimento — disse.

— Eu não vou entrar na pauta do STF (Supremo Tribunal Federal), mas essa não é uma pauta menor, porque quebra o princípio da economicidade, que é um princípio constitucional, inclusive — destacou.

O ministro falou ainda sobre a possibilidade de se fazer compras diretas da agricultura familiar pela internet, o que deve começar a ocorrer a partir de novembro, com lançamento previsto na Feira Nacional da Agricultura Familiar, no Rio de Janeiro, este ano.

—Estamos priorizando cooperativas e associações pra eles venderem para clientes como supermercados, redes de hotéis, e também aos programas de compras governamentais, porque é isso que viabiliza o mercado mais consistente. Depois, a gente vai para a pulverização.
Fonte:
Agência Brasil

2 comentários

  • Lourivaldo Verga Barra do Bugres - MT

    Planeta Azul (musica adaptada para a semana de meio ambiente)

    A Vida e a Natureza sempre à mercê da puluição

    Vivem culpando o campo, mas se empanturram de arroz e feijão,

    Os peixes morrendo nos rios, estão se extinguindo espécies animais,

    Tudo o que produz se come e cada vez tão comendo mais.

    Onde a chuva caía quase todo dia, se colhia tuda pra matar a fome,

    Agora com o novo Código o arrependimento é votar no "home",

    Quanto ao futuro inseguro será assim de Norte a Sul,

    Deixar a terra sua e plantar na Lua, deixar aqui essa pobreza azuuuuul.

    Os rios que descem as encostas, cortando as cidades parece que chora,

    Recebem lixo e esgoto e toda porcaria que se joga fora,

    É tempo de pensar no verde, agradecer a semente que no campo nasceu,

    Expulsar as ONGS da Amazônia, ter soberania, pelo amor dde Deus!

    Onde a chuva caía...

    0
  • jorge casarin Santo Ângelo - RS

    Boa Dalzir, meta o pau, tem gente que é cego e quando abrir o olho, já vai estar na cova, que país é este, e quem é o bando que está no poder? e quem eles ouvem? se dar o luxo de desprezar a fartura é sinal que a roubalheira já é suficiente.

    0