'Governo precisa de base coesa para votar código'

Publicado em 23/05/2011 07:32 305 exibições
Opinião é do Secretário do Ministério do Meio Ambiente, Francisco Gaetani, sobre a votação do Código Florestal prevista para a terça.
O Ministério do Meio Ambiente (MMA) considera que a base governamental ainda não está completamente coesa para a votação do novo Código Florestal, fato que pode ser chave no adiamento da decisão, agendada para a próxima terça-feira, em Brasília. A opinião é do secretário executivo do MMA, Francisco Gaetani, que conversou com a FOLHA sobre a polêmica que se estende há quatro semanas na Câmara dos Deputados. Ele esteve em Londrina na última sexta-feira participando da abertura do IV Congresso Nacional de Responsabilidade Socioambiental, que reuniu mais de 700 pessoas entre sexta e ontem no Teatro Ouro Verde. O evento foi promovido pela Associação Brasileira de Treinamento e Desenvolvimento do Paraná (ABTD).

Para Gaetani, não é necessário que se vote o Código Florestal de maneira apressada. O representante do MMA salientou que o governo precisa construir, primeiramente, uma posição de conjunto, que leve em conta todos os ministérios. ''É melhor gastarmos um pouco mais de tempo para a construção de um arcabouço jurídico equilibrado, que dê mais conforto, do que votar na pressa. É importante fazermos uma legislação de qualidade, que favoreça os negócios e a preservação ambiental''.

O secretário não quis comentar os principais itens do texto do relator, deputado Aldo Rebelo (PCdoB), que causam maior embate entre os ruralistas e ambientalistas, mas considera que são pontos fundamentais para se chegar a um consenso. ''Estamos otimistas. São poucos pontos pendentes, mas são pontos de honra, estratégicos. Nós estamos ainda na primeira rodada de tudo isso, ainda falta o Senado e depois a figura da presidente. Mas quanto mais conseguirmos coesionar a posição do governo neste momento, melhor'', explicou.

Questionado sobre o atraso para se chegar a um acordo, Gaetani disse que há um lado positivo no prolongamento dos trabalhos na Câmara. ''Hoje, toda a sociedade está discutindo os principais pontos do Código Florestal. Se não houvesse ocorrido desta forma, talvez o Congresso estivesse votando sem a participação da população. A pressão faz parte do jogo democrático'', enfatizou.

Em relação à responsabilidade sociambiental no País, tema chave discutido no congresso na cidade, Gaetani salientou que o Brasil está avançando, principalmente no setor privado. ''Não tratamos mais as questões ambientais como anexo ou filantropia ambiental. Muitas vezes o setor produtivo tem andado à frente do governo. Hoje a competitividade mundial é verde''.
Fonte:
FolhaWeb[

0 comentário