Queda nas exportações de carne suína, em junho, amplia crise do setor

Publicado em 06/07/2012 08:03 493 exibições
Vendas externas caíram 16,76% em volume, em relação a igual período de 2011. Embargo russo permanece para RS, PR e MT.
“Os números de exportação de junho mais uma vez frustraram o setor de suínos. Uma ampliação nas vendas externas certamente ajudaria a reduzir a amplitude da crise pela qual atravessa a atividade”, afirma o presidente da Associação Brasileira da Indústria Produtora e Exportadora de Carne Suína – ABIPECS, Pedro de Camargo Neto. Ao analisar os resultados das exportações de carne suína, no mês passado, Camargo Neto comenta: “junho de 2012 foi menor que maio de 2012 e também menor que junho de 2011”.

No próximo dia 12, quinta-feira, ele participará de ato público no Senado Federal organizado pela Associação Brasileira de Criadores de Suínos – ABCS. O tema da manifestação será a crise na suinocultura brasileira. O protesto incluirá audiência pública na Comissão de Agricultura do Senado, caminhada dos produtores entre o Congresso Nacional e o Ministério da Agricultura, churrasco de carne suína na Esplanada e encontro com o ministro Mendes Ribeiro.

Apresentação da ABIPECS no Senado – Na audiência pública, Pedro de Camargo Neto fará uma análise das dificuldades pelas quais passa o setor, desde problemas tributários e de logística até os relacionados com preços de insumos e mão de obra. Também mostrará o atual quadro dos mercados externos para a carne suína brasileira. Os mercados suspensos, atualmente, são Rússia, Argentina, África do Sul e Albânia. Recentemente, foram abertos Estados Unidos e China, e ainda falta a abertura do Japão, da Coreia do Sul e da União Europeia.

No acumulado do ano, 268,78 mil t - O Brasil embarcou 43.913 toneladas e faturou US$ 108,40 milhões em junho, uma queda de 16,76% em volume e 28,75% em receita, na comparação com junho de 2011. (VEJA ESTATÍSTICAS EM ANEXO)

No acumulado do ano, o aumento foi de apenas 0,72% em toneladas (268.783 t) em relação ao período de janeiro a junho de 2011, enquanto a receita caiu 6,52%, ficando em US$ 687,35 milhões.

Embargo russo continua - “A incapacidade do governo federal de resolver o embargo da Rússia aos estados do Rio Grande do Sul, Paraná e Mato Grosso permanece. Notícias esparsas de que missão veterinária do Rosselkhoznadzor chegaria neste mês, infelizmente ainda não se confirmaram”, lamenta o presidente da ABIPECS. “Destacamos que a Ucrânia passa a ocupar a posição de principal destino da carne suína, porém esse mercado tem preço médio significativamente inferior ao pago pela Rússia. Só estamos mantendo os volumes à custa do sacrifício das empresas exportadoras”, diz Camargo Neto.

As vendas de carne suína para a Rússia caíram 52,87% em volume e 57,91% em receita, em junho – 11.623 t e US$ 32,77 milhões -, ante igual período de 2011.

Principais destinos – A Ucrânia, com 11.938 t, passou a figurar como primeiro importador da carne suína brasileira em junho, seguida de Rússia (11.623 t), Hong Kong (7.313 t), Angola (3.539 t) e Singapura (2.244 t).

Argentina, queda de 71% - Houve uma retração nas exportações para a Argentina de 71,19% em toneladas (apenas 713 t) e de 73,50% em valor (cerca de US$ 2 milhões). Desde fevereiro o país vizinho impõe restrições à entrada do produto brasileiro.

“Nesta semana, o governo federal anunciou acordo com a Argentina, prometendo destravar o comércio entre os dois países. Entendemos que o acordo prevê volume de comércio, para o segundo semestre de 2012, semelhante ao segundo semestre de 2011. Esperamos que o acordo realmente se efetive, ajudando na recuperação do setor. Poderemos confirmar este acordo no relatório do mês de julho”, diz o presidente da ABIPECS.
Tags:
Fonte:
Abipecs

3 comentários

  • SERGIO SCAPIN Braço do Norte - SC

    TAMBEM SOU DAQUELA REGIAO VIM PRA CA A 3 ANOS A TRABALHO, PODE SER QUE SEJA ALGUEM QUE EU NAO LEMBRE DE MOMENTO...

    0
  • SERGIO SCAPIN Braço do Norte - SC

    FICO MUITO FELIZ COM SEU COMENTARIO, EM ESPECIAL ESTE ULTIMO, JAMAIS LEVAREI PELO LADO DE "POLEMIZAR", CONCORDO PLENAMENTE COM ISSO QUE FOI DITO AI POR VOSSA PESSOA, DEIXEI ANTES NAS ENTRELINHAS, MAS SO TEM UM CAMINHO E VOCE TAMBEM O DESTACOU EM SEU COMENTARIO ""CHOQUE DE REDUCAO DE OFERTA""...O RESTANTE POUCO VAI AJUDAR, E LOGICO PREÇO JUSTO!!!!!!UM GRANDE ABRAÇO!!!!

    0
  • SERGIO SCAPIN Braço do Norte - SC

    PARABENS!!!É ISSO QUE O POVO PRECISA VER, A QUEDA NAS EXPORTAÇOES, E MUITO MENOR QUE O VOLUME AUMENTADO NA PRODUCAO...SO DE MATRIZES ALOJADAS DE 2006 ATE MEADOS DE 2010 NO BRASIL,O CRESCIMENTO HAVIA SIDO DE 2,7%, SABEM QUANTO ISSO REPRESENTA????23OMIL MATRIZES A MAIS PRODUZINDO....SERA QUE SEM REDUCAO SE RESOLVE?????

    0