Crise na Suinocultura: ACCS mobiliza produtores para o Manifesto Público em Brasília nesta quinta-feira (12)

Publicado em 11/07/2012 12:43 e atualizado em 11/07/2012 16:36 841 exibições
Mais de 200 produtores de suínos de Santa Catarina estarão na Capital.
As dificuldades enfrentadas pela suinocultura brasileira crescem a cada dia. Para os suinocultores, a crise chegou a tal ponto que motivou a falência do setor. Hoje, não existem alternativas que possam ser gerenciadas pelos próprios produtores, e devido a isso, a expectativa de lucrar com a atividade deixou de existir. Mesmo diante desse cenário desolador, os produtores seguem com a esperança de que algo possa ser feito para salvar, pelo menos, parte do setor. 
Para a ACCS – Associação Catarinense de Criadores de Suínos, entidade que lidera o maior grupo de suinocultores do país, já que Santa Catarina ainda é o estado com a maior produção, iniciativas públicas como a renegociação das dívidas dos produtores, a liberação de crédito e o estabelecimento de uma política de preço mínimo, são aguardadas. “E mais do que isso, o apoio do Governo Federal é a única alternativa para esse momento. Sendo que a adoção de medidas, além de ajudar hoje, também deve ditar as regras do futuro, para a suinocultura”, destaca o presidente da ACCS, Losivanio Luiz de Lorenzi.
 Com a intenção de mobilizar o Governo Federal, as entidades voltadas ao setor estão organizando um Manifesto Público em Brasília. O ato será nesta quinta-feira (12/07) e será transmitido AO VIVO pelo Notícias Agrícolas a partir das 8h30 (horário de Brasília). A programação inicia com um café da manhã, a partir das seis horas. Às 8h30min, será realizada uma Audiência Pública no Senado, ao meio dia, almoço à base de carne suína e às 14h30 encontro com o Ministro da Agricultura. “A pauta de reivindicações contempla três fatores fundamentais para a manutenção da atividade. O primeiro fator é o pagamento imediato sobre a diferença do valor recebido de R$ 1,90, sobre o custo de produção, R$ 2,57, mediante apresentação de nota. O segundo são medidas para os produtores renegociarem as dívidas e extra-limites. O terceiro refere-se à liberação de recursos para manter as matrizes no campo, além de outras ações a médio e longo prazo, reforça Lorenzi.
Somente em Santa Catarina, a ACCS mobilizou mais de 200 pessoas para o Manifesto. “Caso sejam anunciadas medidas para a suinocultura, antes do manifesto, nossos produtores seguirão a programação, nem que seja para agradecer o apoio do Governo Federal”, comenta o presidente.

Participação da ABIPECS no Ato Público dos Suinocultores Brasileiros em Brasília

O presidente da Associação Brasileira da Indústria Produtora e Exportadora de Carne Suína – ABIPECS, Pedro de Camargo Neto, participa nesta quinta-feira, dia 12 de julho, de audiência pública no Senado Federal e de reunião com o ministro da Agricultura, Mendes Ribeiro. O Ato Público dos Suinocultores está sendo organizado pela Associação Brasileira dos Criadores de Suínos – ABCS (www.abcs.org.br).

Camargo Neto deverá fazer uma apresentação na Comissão de Agricultura do Senado às 8h30. A audiência dos suinocultores com o ministro Mendes Ribeiro será às 14h30.

ABCS: Ato público em defesa da suinocultura será realizado nesta quinta-feira (12) 

Mobilização organizada pela ABCS e entidades estaduais afiliadas vai reunir mais de 500 produtores em Brasília
A Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS) e as entidades estaduais afiliadas realizam nesta quinta-feira, dia 12 de julho, um grande ato público em Brasília em defesa da suinocultura brasileira.

A manifestação, batizada de “Preço justo para produzir”, vai reunir mais de 500 produtores de suínos de todo o país. Um dos principais objetivos do ato público é reivindicar a implementação, entre outras questões, de uma política de preço mínimo para a suinocultura, que possa auxiliar na busca de uma solução para a crise que enfrenta o setor.

A crise que enfrenta a suinocultura, que soma um prejuízo acumulado de mais de R$ 4 bilhões, ameaça fechar centenas de granjas, atingindo diretamente cerca de um milhão de brasileiros que trabalham no setor.

O ato público desta quinta-feira terá início com uma audiência pública, que será realizada no Senado Federal a partir das 8h30. Após a audiência, os produtores saem em caminhada pela Esplanada dos Mistérios até a frente do Ministério da Agricultura, onde um churrasco de carne suína será realizado como forma de protesto pelos baixos preços pagos pelo produto.

Às 14h do dia 12 de julho, os representantes da ABCS e das entidades estaduais filiadas serão recebidos em audiência pelo ministro da Agricultura, Mendes Ribeiro. O ministro receberá as reivindicações dos criadores, que buscam ansiosamente soluções para os problemas que afetam a categoria.

A ABCS e suas entidades afiliadas estão empenhadas em uma ampla mobilização para que mais produtores e parlamentares se unam em busca de uma solução para a crise que afeta do setor. Somente unidos teremos chances de conquistar melhorias para os produtores de suínos.

O presidente da Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS), Marcelo Lopes, enfatiza a importância da participação no ato público, que poderá ser decisivo para a suinocultura nacional: "Se a crise da suinocultura chegou ao plenário do Senado é sinal de que as demandas do setor precisam ser atendidas, por esse motivo a ABCS junto a suas entidades regionais estão mobilizando suinocultores para este ato, como um manifesto reivindicando melhores condições para produzir e preço justo ao produtor de suínos”, comenta.
Reivindicações da suinocultura brasileira
- Votação do PL 7416/2010, que inclui a carne suína na Política de Garantia de Preços Mínimos do Governo Federal, o projeto já se encontra na Comissão de Finanças e Tributação da Câmara dos Deputados, último passo para ir a plenário;
- Votação do PL 330/2011, lei das integrações, que se encontra na Comissão de Constituição e Justiça do Senado;
- Inclusão do setor nas medidas do Programa Brasil Maior, sobretudo com desoneração da folha de pagamento, o que atende, sobretudo, a indústria frigorífica e de insumos;
- Prorrogação dos custeios pecuários e liberação extra limite do valor de R$1.200.000 por suinocultor já aprovado no Plano Safra 2012/2013;
- Inclusão da suinocultura no PL 2092/2007, que trata da reestruturação do passivo do setor rural brasileiro, alongamento das dívidas, que está em análise na Comissão de Finanças e Tributação.
- Criação de um fundo garantidor de crédito do governo federal para empréstimos de custeio e financiamento para a suinocultura Brasileira no valor de R$ 1.000.0000,00
- Aprovação da Linha Especial de Crédito – LEC, para a indústria frigorífica, até o limite de R$ 20.000.000,00 por CNPJ;
- Leilão de VEP de milho dos estados do Centro-Oeste para os estados do sul do Brasil e para São Paulo;
Tags:
Fonte:
ACCS + Abipecs

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

1 comentário

  • Telmo Heinen Formosa - GO

    Já que os suinocultores não conseguem se combinar para reduzir a oferta desta carne branca à demanda, a oferta será REDUZIDA à FORÇA.... O mercado nao se defende, ele se vinga. A hora da vingança chegou. O pior é que os agricultores não aprendem a lição.

    0