Suinocultura reage após período de crise em Santa Catarina

Publicado em 14/08/2013 17:30
461 exibições

A Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca comemora a reação da suinocultura em Santa Catarina. A cotação do animal vivo sobe em todas as regiões, a Associação Catarinense de Criadores de Suínos (ACCS) aponta que o produtor recebe R$ 2,70 por quilo de peso vivo e a Bolsa de Suínos rejustou em R$ 2,85 por quilo. O aumento é devido à movimentação do mercado das carnes no país, ação desenvolvida pelo Governo do Estado e as exportações.

O secretário de Estado da Agricultura e da Pesca, João Rodrigues, destaca a importância das medidas adotadas pelo Governo do Estado para dar suporte aos produtores enquanto enfrentavam a crise na suinocultura no ano passado e a conquista do mercado japonês à carne suína neste ano. “O Governador Raimundo Colombo solicitou aumento na utilização de carne suína nas refeições oferecidas pelo Estado nas escolas, abrigos e centros de atenção social, hospitais e nos presídios e as primeiras exportações da carne suína catarinense ao mercado japonês já iniciaram”, completou Rodrigues.

O secretário defende que a abertura de mercados como o japonês representa um grande passo para garantir estabilidade para a suinocultura catarinense, setor que nos últimos anos passou por diferentes momentos de crise diante do alto custo de produção e da oscilação dos preços pagos aos produtores. A entrada da carne suína catarinense foi autorizada pelo governo japonês em maio deste ano. Em junho, o governador Raimundo Colombo e o secretário João Rodrigues estiveram em Tóquio para oficializar a parceria histórica.

Oito frigoríficos de cinco empresas foram habilitados a exportar carne suína ao mercado japonês nesta etapa: BRF (com as unidades de Campos Novos e de Herval D’Oeste), Seara (unidades de Seara e de Itapiranga), Pamplona (Rio do Sul e de Presidente Getúlio), Aurora (Chapecó) e da Sul Valle (São Miguel do Oeste). Os primeiros embarques foram enviados em julho e chegam ao Japão no final deste mês.

Tags:
Fonte: Sec. Agricultura de SC

Nenhum comentário