Exportação de produtos avícolas alcança US$ 6,4 bi até setembro

Publicado em 17/10/2013 08:30 e atualizado em 17/10/2013 09:18
365 exibições

As exportações do setor avícola brasileiro totalizaram 2,999 milhões de toneladas entre janeiro e setembro deste ano, queda de 2,6% em comparação com o mesmo período de 2012, segundo levantamento da União Brasileira de Avicultura (Ubabef). Já a receita com os embarques subiu 5,5% na mesma comparação, para US$ 6,422 bilhões.

Leia a íntegra no Valor Econômico

Exportações da avicultura têm aumento em receita e queda em volumes, destaca UBABEF

Levantamentos feitos pela União Brasileira de Avicultura (UBABEF) mostram que as exportações do setor avícola brasileiro totalizaram 2,999 milhões de toneladas entre janeiro e setembro deste ano, com queda de 2,6% em relação ao mesmo período do ano passado. Em receita, houve aumento de 5,5%, com US$ 6,422 bilhões.

Verificando-se apenas os volumes registrados em setembro, as exportações de carne de frango apresentaram redução de 2,4% em relação ao nono mês de 2012, com 315,5 mil toneladas. Também houve redução na receita geral do setor, de 9,7%, com US$ 621 milhões.

Conforme explica o presidente executivo da UBABEF, Francisco Turra, exceto nos embarques de ovos férteis e material genético, houve redução em quase todos os segmentos exportadores da avicultura brasileira em setembro, na comparação com o mesmo período de 2012.

“De forma geral, este desempenho mensal não deverá afetar as expectativas do setor em atingir neste ano desempenho em volume de carnes semelhante ao de 2012, especialmente em carne de frango. Já no caso de ovos, há uma notável redução no ritmo das exportações, cenário este que a UBABEF está trabalhando para mudar, com a adoção de uma série de estratégias que visam, entre outros objetivos, abrir novos mercados e fortalecer a marca internacional do segmento (a Brazilian Egg, lançada neste ano)”, disse.

Turra alertou, ainda, para um cenário que vem sendo enfrentado pelas empresas do setor com relação ao abastecimento de insumos, especialmente de farelo de soja. De acordo com o presidente da UBABEF, o ritmo crescente das exportações está reduzindo a oferta interna do insumo, impactando diretamente os custos de produção.

“A forte elevação do preço do farelo de soja foi uma das principais causas da maior crise enfrentada pelo setor avícola, em 2012, quando 10 mil empregos foram perdidos e empresas entraram em recuperação judicial. É preciso que o governo federal intensifique as ações que melhorem o abastecimento interno do insumo, priorizando a segurança alimentar brasileira e a manutenção dos empregos no Brasil. Vale mais para o país exportar valor agregado do que commodities e, com elas, os empregos”, destaca.

Carne de frango - As exportações brasileiras de carne de frango atingiram 302 mil toneladas em setembro deste ano, resultado 1,2% menor em relação ao mesmo período de 2012. A receita atingiu US$ 578,3 milhões, uma queda de 8,6% ante o mesmo período do ano passado.

No acumulado do ano, o volume de embarques totalizou 2,865 milhões de toneladas entre janeiro e setembro, resultado 2% menor em comparação com o mesmo período do ano anterior. Já a receita atingiu elevação de 6,7%, com US$ 5,989 bilhões.

Na análise por produto entre janeiro e setembro de 2013, os cortes permanecem como carro-chefe das exportações de carne de frango brasileira, com 1,532 milhão de toneladas (-5,5% em relação ao mesmo período de 2012). Em segundo lugar, os embarques de frango inteiro totalizaram 1,090 milhão de toneladas (+5,4%). Terceiro produto mais exportado, as exportações de carnes salgadas atingiram 127,7 mil toneladas (-0,65%). Por último, os industrializados totalizaram 113,3 mil toneladas embarcadas (-18%).

Verificando-se os principais destinos das exportações nos nove primeiros meses deste ano, o Oriente Médio manteve-se como principal importador da carne de frango brasileira, com 1,094 milhão de toneladas (+7,3% em relação ao mesmo período do ano passado). Para a Ásia, segundo maior importador, o volume embarcado totalizou 815,2 mil toneladas (-5,3%). A África, terceiro maior mercado para a carne de frango brasileira, importou 389,1 mil toneladas no período (-14,9%). A União Europeia, no quarto posto, foi destino de 302,8 mil toneladas no período (-10,2%). Os países das Américas, com 190,1 mil toneladas (+23,2%) e da Europa (extra União Europeia), com 71 mil toneladas (-22,5%), completam a lista.

Ovos – As exportações brasileiras de ovos totalizaram 8,452 mil toneladas nos nove primeiros meses de 2013, resultado 55,2% menor em relação ao mesmo período do ano anterior. Em receita, a queda acumulada foi de 47,6%, com US$ 15,433 milhões.

Tendo por base o mês de setembro, foram embarcadas 557 toneladas de ovos, resultado 69,2% menor com relação ao nono mês de 2012. Em receita, houve retração de 66,2%, com US$ 996 mil.
No segmento in natura, foi registrada queda em volume de 58,59%, na comparação entre janeiro e setembro deste ano e do ano passado, com 7,397 mil toneladas em 2013. Em receita, a redução é de 56,89%, com US$ 10,946 milhões.

Já nos embarques de ovos processados, houve elevação de 6,88%, com 1,054 mil toneladas. O aumento foi ainda mais expressivo em receita, com 10,5%, totalizando US$ 4,487 milhões.

Peru – as exportações de carne de peru entre janeiro e setembro apresentaram queda de 5,75% na comparação com o mesmo período do ano passado, com 119,3 mil toneladas embarcadas. Também foi registrada queda em receita, de 3,56%, com total de US$ 340,8 milhões.

Considerando-se apenas o mês de setembro, a queda foi de 16,8% no volume embarcado (12,2 mil toneladas) e de 23,67% em receita (US$ 33,5 milhões).

Pato, ganso e outras aves – Os embarques deste segmento totalizaram 1,003 mil toneladas em 2013, resultado 54,7% menor em relação ao mesmo período do ano passado. Houve redução também na receita de exportação, de 59,4%, com US$ 3,725 milhões.

Na análise mensal, foi registrada queda de 65% nos embarques de pato, ganso e outras aves realizados em setembro deste ano, na comparação com o mesmo período de 2012 – totalizando 78,6 toneladas. Já em receita, a queda foi de 63,6%, com US$ 308 mil.

Material genético – As exportações de material genético totalizaram 828,9 toneladas entre janeiro e setembro, resultado 9,31% maior que o mesmo período comparativo em 2012. Em receita, o crescimento foi ainda maior, de 26,54%, com US$ 40,437 milhões.

Considerando-se apenas o mês de setembro, houve elevação nos resultados em volume, com 94 toneladas (+3,67%), e em receita, com US$ 4,9 milhões (+20,06%).

Ovos férteis – Os embarques de ovos férteis registraram queda de 34,75% entre janeiro e setembro de 2013, com total de 5,411 mil toneladas. Em receita também foi registrada redução, de 36,58%, com US$ 31,940 mil toneladas.
Verificando-se apenas o mês de setembro, houve aumento em volume, com 542 toneladas (+5,27%), mas queda em receita de US$ 3,1 milhões (-4,32%).

Tags:
Fonte: Valor Econômico + Ubabef

0 comentário