OIE: Alimento não é fonte de disseminação de PEDv

Publicado em 08/10/2014 16:36 141 exibições

A Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) confirmou que, ao contrário do que relatado anteriormente, produtos derivados de sangue suíno, como o plasma desidratado por spray drying, não são prováveis fontes do vírus da Diarreia Epidêmica Suína (PEDv) na forma infeciosa, desde  que boas práticas de fabricação e padrões de biosseguridade sejam  seguidos.

Essa boa notícia para a indústria de alimentação de suínos é fundamentada em documento técnico  elaborado pelo comitê ad hoc da OIE com respeito ao PEDv, grupo este que é liderado pela  Federação Internacional da Indústria de Alimentação Animal(IFIF) e composto por especialistas das regiões afetadas, assim como especialistas da indústria produtora de derivados  de sangue, que contribuiu com relevantes informações científicas e dados, de acordo com a solicitação do diretor geral da OIE, Dr. Bernard Vallat.

Compromisso com a segurança alimentar

Alexandra de Athayde, diretora executiva da IFIF, diz que “essa não é apenas uma descoberta importante para a cadeia alimentar de animais, destacando o nosso forte compromisso com a segurança alimentar, mas demonstra também a importância e os benefícios da cooperação entre IFIF e OIE, em particular no que diz respeito à prevenção e à conduta frente a doenças contagiosas”.
Alexandra de Athayde acrescenta “a IFIF espera poder continuar trabalhando com a OIE no sentido de contribuir para a melhoria da saúde animal e a produtividade, as quais levam a uma contribuição positiva para a saúde pública, bem como apoiam o desenvolvimento, a atualização e a implementação de padrões e diretrizes da OIE. A OIE publicou um  documento sobre a Diarreia Epidêmica Suína (PED), que pode ser acessada no site da instituição clicando AQUI.

O relatório recente da OIE com respeito ao Vírus da Diarréia Epidêmica Suína (sigla do inglês, PEDV) descarta o Plasma spray dried como veículo para transmissão :

"A transmissão direta ocorre através da ingestão de fezes contaminadas pelo vírus. Transmissão indireta ocorre através de veículos que possam estar contaminados, incluindo caminhões de ração, veículos de serviço, bem como pessoal, equipamentos ou outros tipos de objetos contaminados com fezes, incluindo ração. Embora  derivados de sangue de suínos como o plasma spray dried incorporado em dietas de suínos tenham sido considerados suspeitos em investigações conduzidas em alguns países, a posição de grupo ad hoc endossada pela Comissão Científica é de que esses produtos não são prováveis fontes de infecção, desde que boas práticas de fabricação e protocolos de produção sejam seguidos .Veículos contaminados utilizados para o transporte de suínos têm sido identificadas como um importante fator de risco para a propagação da doença."

Tags:
Fonte:
Agroassessoria

0 comentário