Suinocultores do MT tem prejuízo de R$ 30 mi com a falta de emissão de GTA

Publicado em 20/06/2016 07:42

A suinocultura em Mato Grosso registrou um prejuízo de aproximadamente R$ 30 milhões devido à falta de emissão de Guias de Trânsito Animal (GTA) em decorrência a greve dos servidores do Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grosso (Indea). O fim da paralisação da categoria e outras demandas foram os pontos discutidos na primeira reunião da Frente Parlamentar da Suinocultura instalada na Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT). A escassez do milho foi outra questão debatida entre o setor produtivo e parlamentares. 

A reunião ocorre na quinta-feira, 16 de junho. Na ocasião os deputados que fazem parte da Frente reuniram-se para debater e encaminhar alternativas visando parcerias com o Governo Federal para investimentos na cadeia produtiva de milho, principal matéria-prima para a produção da ração para suínos.

Hoje, a suinocultura em Mato Grosso gera 3.505 empregos diretos e 10.515 indiretos, de acordo com a Associação dos Criadores de Suínos de Mato Grosso (Acrismat). Ao todo são 416 granjas comerciais espalhadas em 33.678 propriedades cadastradas no Estado. Dados fornecidos pela Acrismat mostram que Mato Grosso possui 140.200 matrizes para um rebanho de 2.513.061 cabeças

“O setor da suinocultura no Brasil passa por um dos melhores momentos registrados nos últimos anos, e Mato Grosso também faz parte desses números positivos. No entanto, nos últimos dez dias tivemos um prejuízo de cerca de R$ 30 milhões devido à falta de emissão de guias para o transporte dos animais”, revelou o diretor executivo da Acrismat, Custódio Rodrigues.

A suinocultura mato-grossense voltou a passar por uma nova crise, de acordo com o presidente da Associação dos Criadores de Mato Grosso Acrismat, Raulino Teixeira. Durante a reunião da Frente Parlamentar da Suinocultura, Teixeira revelou que há vários meses o setor tem arcado com um prejuízo entre R$ 40 e R$ 50 por animal. Além disso, a atividade vem sofrendo com a escassez do milho e o alto custo de produção.

“Agora com a greve dos servidores do Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grosso (Indea), não estão ocorrendo às validações das Guias de Trânsito Animal (GTA), documento necessário para o trânsito de suínos vivos por parte dos suinocultores. Além disso, o produtor está passando dificuldades também para a compra do milho, um dos principais componente da ração, por isso o governo estadual precisa liberar os produtores para participarem de leilões nacionais de milho”, frisou Raulino Teixeira na reunião.

Leia a notícia na íntegra no site Olhar Direto.

Fonte:
Olhar Direto

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário