Suínos: ACCS inaugura nova Central de Coleta e Difusão Genética

Publicado em 07/12/2016 09:05
35 exibições
Nova Central de Coleta e Difusão Genética da ACCS será inaugurada na próxima sexta-feira
A Associação Catarinense de Criadores de Suínos (ACCS) confirma seu pioneirismo no melhoramento genético com a inauguração da Central de Coleta e Difusão Genética da ACCS, que ocorrerá na próxima sexta-feira (9), na comunidade de Fragosos, em Concórdia, a partir das 18h. O funcionamento da nova Central é mais um importante avanço na produção de suínos em Santa Catarina, já que a estrutura terá à disposição as melhores genéticas do mercado e respeitará todos os padrões de bem estar animal em seu processo produtivo.

“Essa talvez seja a primeira central do país construída dentro do bem estar animal, que é uma exigência do mercado internacional. Vamos também ajudar a manter a sanidade do rebanho de Santa Catarina para conseguir atender o exigente mercado internacional”, relata o presidente da ACCS, Losivanio Luiz de Lorenzi.

METAS

Com base no número de machos alojados, a Central pode atingir a produção mensal de 17 mil doses de sêmen em abril de 2017. Para se ter uma ideia do avanço, em setembro de 2014, quando a ACCS reassumiu os trabalhos da Central, a produção foi de apenas 2.577 doses no mês. 

DIFERENCIAIS

A nova Central da ACCS passa a alojar agora 136 machos das genéticas Agroceres PIC (95% do total de animais), Choice Genetics, DB e Embrapa, que estão no topo do mundo em qualidade. O alojamento dos animais seguem os padrões exigidos pelo bem estar animal, com baias de seis metros quadrados, piso ripado de um metro e dois metros vazados.  

Com o avanço estrutural, é possível fazer a coleta de quatro animais simultaneamente e com manequins semiautomáticos. As doses são repassadas para o laboratório através de um óculo, diminuindo os fatores de contaminação do material coletado. 

No laboratório onde as doses são preparadas, a estrutura possui materiais que facilitam a limpeza e minimizam os riscos de contaminação do material genético. O objetivo é garantir o status sanitário diferenciado de Santa Catarina. Hoje as doses são coletadas e entregues ao produtor no mesmo dia, mantendo a temperatura entre 15°C e 18°C.   

A nova estrutura da Central leva em consideração também o conforto dos colaboradores, de modo que todos trabalham com segurança. 

“Além de realizar a comercialização destas doses de sêmen com alto padrão genético a ACCS tem um confiável sistema de avaliação computadorizado (sistema CASA), conta com uma equipe de colaboradores comprometidos e capacitados para levar o melhor em produto e serviço ao campo. Buscamos que nossos clientes tenham um bom desempenho na atividade”, afirma o médico veterinário responsável pela Central, Mauro Serafim.

Aliada a entrega de um sêmen de alto nível, a ACCS tem uma parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural de Santa Catarina (Senar/SC), para realizar treinamentos de inseminação artificial pós-cervical em suínos, agregando mais conhecimento e otimizando a produtividade suinícola em Santa Catarina.

HISTÓRIA 

A ACCS construiu a primeira Central de Sêmen do país, em 1976, ampliando a qualidade dos suínos produzidos no Estado e tornando Santa Catarina como referência mundial na produção da proteína. Uma cooperativa assumiu os trabalhos da estrutura, em 1999. Após 14 anos, A ACCS retomou as atividades na Central, mas de forma terceirizada. Em 2014, reassumiu a estrutura de forma integral. “Vimos a necessidade de fazer grandes investimentos para que a Central tivesse credibilidade diante do produtor, para que ele pudesse receber um material genético de qualidade e com segurança sanitária”, explica o presidente da ACCS.
Fonte: ACCS

0 comentário