Suinocultura independente: preços mostram reação e sobem, mas custos ainda pressionam

Publicado em 10/06/2021 17:45 e atualizado em 10/06/2021 18:40 114 exibições
Lideranças apontam menor oferta de suínos vivos e previsão de baixas temperaturas, o que pode impulsionar o consumo

LOGO nalogo

Nesta quinta-feira (10) as principais praças que comercializam suínos no mercado independente registraram altas nos preços, com menos animais vivos para negociar e clima mais frio, o que auxilia na melhora da demanda na ponta consumidora. Entretanto, lideranças pontuam que os custos de produção seguem pressionando a atividade. 

Em São Paulo, pela segunda semana consecutiva, não houve acordo entre frigoríficos e produtores. Na última semana, as negociações realizadas foram no patamar de R$ 6,66/kg vivo, e nesta quinta, apesar de não ter havido consenso durante a bolsa, ao longo do dia negócios foram realizados com o preço pedido pelos suinocultores: R$ 8,00/kg. 

O presidente da Associação Paulista de Criadores de Suínos (APCS), Valdomiro Ferreira, explica que, mesmo com o reajuste positivo, o setor ainda opera no prejuízo e seguirá pressionando para que haja mais altas.

Segundo informações da Associação dos Suinocultores do Estado de Minas Gerais (Asemg), o merecado mineiro também registrou alta nesta quinta-feira, saindo de R$ 6,50/kg para R$ 7,50/kg vivo. 

"O mercado da semana foi eufórico, com demanda muito firme e essa é uma tendência nacional neste momento. Como dito outras vezes, o acordo entre as partes colabora com a liquidez do mercado e a manutenção das boas vendas ajudam a sustentar o patamar dos preços", disse o consultor de mercado da Associação, Alvimar Jalles.

Houve reação também no mercado catarinense, passando de R$ 6,43/kg vivo para R$ 7,13/kg vivo. O presidente da Associação Catarinense de Criadores de Suínos (ACCS), Losivanio de Lorenzi, aponta que os produtores se organizaram, reduzindo a oferta, além de a ponta consumidora ter reagido na demanda.

Considerando a média semanal (entre os dias 03/06/2021 a 09/06/2021), o indicador do preço do quilo do suíno do Laboratório de Pesquisas Econômicas em Suinocultura (Lapesui) da Universidade Federal do Paraná (UFPR)  teve alta de 12,29%, fechando a semana em R$ 6,18.

"Espera-se que na próxima semana o preço do suíno vivo apresente alta, podendo ser cotado a R$ 6,36", informou o reporte do Lapesui.

Por:
Letícia Guimarães
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário