Setor avícola do Paraná amplia participação no cenário externo

Publicado em 23/03/2010 18:01 775 exibições

Principal produtor de frango de corte do país, o Paraná busca a liderança nacional nas vendas externas do produto. Para isso, o setor trabalha na ampliação da participação das indústrias avícolas no cenário internacional, com o objetivo de fortalecer a marca e a produção do frango paranaense. Entre as estratégias de mercado adotadas pelo segmento está a participação nas principais feiras e eventos de alimentação mundial, estreitando relações com os compradores externos. Outra iniciativa é aumentar o número de empresas paranaenses habilitadas para exportar frango de corte.

Segundo levantamento do Sindicato das Indústrias de Produtos Avícolas do Paraná (Sindiavipar), dos 33 abatedouros do estado, 26 são habilitados para exportação de frango. O mais recente a conquistar o credenciamento do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) para vendas externas foi a empresa Frangos Pioneiro, de Joaquim Távora, Norte do Paraná.

A empresa foi certificada para exportação (lista geral – que não inclui os destinos da União Europeia e China) no final do mês de fevereiro. E em seguida recebe a visita do ministro da Agricultura, Reinhold Stephanes.

Para conquistar a certificação para exportação, a Frangos Pioneiro promoveu a mudança de seu abatedouro, dentro do município de Joaquim Távora, com a ampliação de toda a estrutura de abate. De acordo com o diretor operacional Tarcizo Messias dos Santos, os investimentos foram de aproximadamente R$ 35 milhões, que contemplam a construção do complexo industrial para abate de aves, processamento de subprodutos, tratamento de água efluente, dentro da filosofia de gestão sustentável da atividade avícola. Também promoveu a ampliação e modernização da indústria de embutidos.

"Com os investimentos aliado à infra-estrutura existente no complexo industrial, a Frangos Pioneiro pretende ampliar em 22% a sua capacidade de abate neste ano, visando justamente novos mercados consumidores no exterior.  Atualmente a empresa abate 9 mil aves por hora, em um turno de trabalho, o que dá uma produção de 75 mil aves/dia, que representa a produção de 180 toneladas frangos e recortes prontas para o consumo diariamente e até outubro deste pretendemos atingir a produção de 85 mil aves/dia, o que nos dará uma maior capacidade de vendas para o mercado interno e externo. O mercado externo agrega valor à produção, o que nos dá uma margem de projeção de crescimento no faturamento. Nosso objetivo inicial é destinar cerca de 20% da nossa produção para o mercado externo e projetamos para 2011 de 30 a 40% da produção, isso sempre consorciada com o crescimento do abate”, revela Paulo Cesar Thibes, diretor industrial.

Mercados

Ao ingressar no mercado internacional, a Frangos Pioneiro leva como bagagem a ampla presença no mercado interno brasileiro. A empresa atua principalmente com vendas no varejo o que representam entre 55% a 60%, Grandes Redes 25% e o restante a distribuidores e atacadista espalhados no território nacional.

No mercado externo, o grupo foca inicialmente destinos como Oriente Médio, Hong Kong, África do Sul, Japão e Venezuela, que são também hoje os principais mercados consumidores do frango paranaense. Segundo levantamento do Sindiavipar, esses países compõem a lista dos dez principais destinos do frango de corte do Paraná. Os países do Oriente Médio, por exemplo, responderam por 31,9% das vendas externas paranaenses de frango de corte em 2009.

Paulo Cesar Thibes explica que na atuação no exterior será utilizada a marca “Maná”, que já integra o grupo no setor de embutidos. “A escolha por essa marca é estratégica, já que é um nome mais curto  facilita na aceitação e entendimento dos consumidores no exterior”, diz.

Sobre a Frangos Pioneiro

O Grupo Pioneiro surgiu em 1983, resultado dos trabalhos dos empresários Tarcizo Messias dos Santos e Paulo Cesar Massaro Thibes Cordeiro. Em 1987, eles finalizaram o projeto de construção do primeiro abatedouro na cidade de Joaquim Távora, com o abate inicial de 200 aves/dia. No início da década de 1990, o grupo passou a atuar na forma de produção integrada, chegando atualmente à marca de 135 produtores integrados, com uma produção de 3 milhões e 500 mil aves. O marco deste crescimento começou a partir de 1996, com a instalação do SIF, a empresa expandiu com a liberação para comercialização no território nacional.

Atualmente, o Grupo administra quatro unidades de produção: um complexo industrial para abate de aves denominado Frangos Pioneiro; uma unidade de processamento de produtos industrializados - Maná Alimentos; uma unidade fabril para produção de rações para frangos de corte  e  um complexo fabril na cidade de Ribeirão do Pinhal (PR) para armazenagem de grãos e produção de rações comerciais para ruminantes - Rações Pioneira.

Há 27 anos no mercado, o grupo mantêm mais 900 empregos diretos e 2.500 indiretos, com advento das exportações projeta um crescimento no abate até 2012 de 160 mil/dia, conforme informações dos diretores e garantido por uma planta moderna, poderá chegar a 300 mil aves/ dia, isso representado por 2 (duas) linhas de abate de 10 mil aves/hora.

 

Tags:
Fonte:
Paranashop

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário