Missão Suína europeia começa segunda-feira

Publicado em 23/04/2010 16:16 1114 exibições
A idéia nasceu de um convite feito ao governo brasileiro pelo Adido Agrícola da Espanha no Brasil, José Maria Gómez Nieves. O propósito desta verdadeira jornada de conhecimento é o aspecto produtivo e tecnológico da cadeia da suinocultura espanhola e francesa.

Conhecer a fundo todos os passos da cadeia produtiva, do processamento e da rastreabilidade da carne suína dos dois mais importantes países da Suinocultura Europeia. Este é o objetivo da missão técnica formada por quinze profissionais brasileiros, que visitará granjas, indústrias, empresas, cooperativas, centros de pesquisa, sistemas de identificação, universidades, mercados atacadistas, bolsas de comercialização e órgãos governamentais da Espanha e França, de 26 de abril a 12 de maio. A Espanha produz atualmente quase 3,3 milhões de toneladas de carne suína e exporta nada menos do que 1,2 milhão de toneladas. Já a França tem uma produção que beira os dois milhões de toneladas.

A idéia da missão nasceu de um convite feito ao governo brasileiro pelo Adido Agrícola da Espanha no Brasil, José Maria Gómez Nieves. “E o propósito desta verdadeira jornada de conhecimento é o aspecto produtivo e tecnológico da cadeia da suinocultura espanhola e francesa e não questões comerciais ou sanitárias”, reforça Felipe José de Carvalho Corrêa, Coordenador do Mapa.

São dois grupos que viajarão por diversas cidades européias. Um vai tratar exclusivamente da produção de ovinos e caprinos e o outro somente suinocultura. Mas os municípios visitados pela comitiva serão praticamente os mesmos. A comitiva também vai manter reuniões com representantes dos ministérios da agricultura e pecuária da Espanha e França, além de ser convidada especial para dois encontros com os embaixadores brasileiros nos dois países, nos dias 5, em Madri, e 12 de maio, em Paris.

A comitiva é formada por representantes do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), da Confederação Nacional da Agricultura e Pecuária (CNA), Universidade de Brasília (Unb), Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS), do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPQ), Centro Nacional de Pesquisa em Aves e Suínos (CNPSA) da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e da Agriness Sistemas e Tecnologias de Informação Ltda (empresa de desenvolvimento e gestão de softwares para a cadeia de carnes). A Editora Animalworld é o único veículo de comunicação do país a acompanhar a missão. A comitiva será liderada pelo Secretário de Desenvolvimento Agropecuário e Cooperativismo (SDA) do Mapa, Márcio Porto Carrero.

A missão segue viagem neste domingo, dia 25, com direção a Lisboa. Na segunda-feira, dia 26, inicia um “road” de uma semana, que se inicia em Badajoz, a 200 quilômetros de Lisboa, onde visita o Centro Nacional de Seleção e Reprodução Animal para conhecer os programas de seleção e melhoramento da raça suína ibérica, mantém reunião com técnicos pesquisadores do CENSYRA e do Serviço de Pesquisas Agrárias da Junta de Extremadura, além de um encontro com técnicos de identificação e produção pecuária do ministério espanhol e da Junta de Extremadura.

A raça “Ibérica” é original da Espanha, extremamente rústica e explorada extensivamente, principalmente no sudoeste da Península Ibérica. Sua carne é destinada a elaboração industrial de presuntos, paletas e embutidos de fama mundial, contando con 4 DOPs (Guijuelo, Jamón de Huelva, Valle de los Pedroches e Dehesa de Extremadura). Sua exploração está submetida aos mesmos requisitos legais que o resto do segmento, que utiliza raças precoces como Large-White e Landrace.

O roteiro segue, com parada em Jerez de los Caballeros e Fregenal de la Sierra, e visita a granjas, além de reunião com dirigentes da Cooperativa Ganaderos de la Sierra e visita a cidade de Olivenza. Em Castuela, visita a indústrias de elaboracão de produtos derivados do suíno ibérico. Depois, em Herrera del Duque, reunião com técnicos da D.O.P. Defesa de Extremadura. Em Valdepeñas, encontro com pesquisadores do Centro e Universidade de Castilla la Mancha e técnicos da Junta de Castilla la Mancha. Em Murcia, visita a granjas, reunião com técnicos e pesquisadores da Junta da Comunidade e Universidade de Murcia, além de empresas elaboradoras de material de identificação animal.

Já em Valencia, visita ao Centro de Pesquisas Agrárias da Junta da Comunidade Valenciana (ganado porcino) e reunião com pesquisadores do Centro e Junta Valenciana. No dia 4 de maio, visita a granjas, parada na Cooperativa de Pecuaristas de Tauste e entrevista com pesquisadores da Junta da Comunidade de Aragón e da Universidade de Zaragoza. Por fim, a parte espanhola termina nac apital, Madri, com reunião no Ministério de Meio Ambiente, Meio Rural e Marinho da Espanha.

A missão brasileira abre a parte francesa do trabalho no dia 7 de maio, visitando o maior mercado atacadista de Rungis, conhecido pelas peças de carne suína, e mantendo encontros com autoridades do Ministério da Agricultura francês, Serviço de Bem-estar Animal (DPEI DGAL), Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento da cadeia produtiva de suínos (IFIP). No dia 10, uma segunda-feira, visita a uma unidade de inseminação artificial (IMV), granjas e centros de genética de suínos (Francehybrides), empresas de alimentação animal (Evialis, Invivo e Serval) e equipamentos e materiais para criações de suinos (Olmix, Tuffigo, I-Tek). No penúltimo dia, mais visitas, a granjas de genética (Francexporc), matadouros (Durand, Coeudic), Estação Pesquisa Experimental de Romillé (IFIP Station) e Talleres de Corte (Embutidos). Encerrando a missão, no dia 12 de maio os integrantes da comitiva conhecem mais granjas, visitam centros de equipamentos e materiais para reprodução e fazem reunião com fornecedores de produtos de higiene e tratamento de resíduos em suinocultura.

Tags:
Fonte:
PorkWorld

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário