China e Rússia entram para o rol dos 10 maiores importadores do frango brasileiro

Publicado em 13/08/2010 10:50 212 exibições
O SECEX/MDIC apresentou os dados consolidados quanto à carne de frango in natura no primeiro semestre de 2010 e mostrou que Rússia e China integram o rol dos 10 principais importadores do produto brasileiro (pela primeira vez nos seis meses iniciais do ano, sem considerar industrializados e carne de frango salgada).

Exceto eventuais trocas de posição, os oito primeiros maiores importadores da carne de frango do Brasil já figuravam entre os “10 mais” do primeiro semestre do ano passado. Assim, Rússia e China surgem, respectivamente, na nona e décima posições.

A receita cambial proporcionada pela Rússia (cuja posição em 2009 os dados da SECEX/MDIC não possibilitam identificar) mais do que dobrou no semestre, fazendo com que a participação russa nas exportações brasileiras de carne de frango in natura aumentasse 72% - de 1,8% do total no primeiro semestre de 2009 para 3,1% no mesmo período deste ano.

Bem mais significativo, no entanto, foi o incremento observado em relação à China, de quase 8 mil por cento, o que fez com que a participação anterior, próxima de zero no ano passado, subisse para 3% nos seis primeiros meses de 2010. Mas essa expansão, de qualquer forma, precisa ser encarada na sua exata medida, pois corresponde, ao menos parcialmente, a substituições de importações antes realizadas através de Hong Kong.

É talvez por isso que Hong Kong está entre os dois países (dos dez que lideram as importações do produto brasileiro) cuja receita cambial no período sofreu retração. O outro é a Venezuela, que gastou 14,4% menos e, com isso, recuou da quarta para a quinta posição entre os “10 mais”.
A ressaltar que, embora o volume de carne de frango in natura exportada tenha aumentado apenas 1% nos seis primeiros meses de 2010, a receita cambial dessas exportações apresentou incremento de 18%.

Tags:
Fonte:
AviSite

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário