Suinocultores da Doux-Frangosul acusam novos atrasos nos pagamentos

Publicado em 21/09/2010 13:27
742 exibições
Atrasos que chegam a quatro meses superam, em alguns casos, duzentos mil reais por produtor.
Há quase um ano atrás, a Associação de Criadores de Suínos do Rio Grande do Sul – ACSURS começou a receber diversas reclamações de suinocultores, alegando atrasos nos pagamentos de lotes de suínos entregues a sua empresa integradora, a Doux-Frangosul. Estes suinocultores, tendo suas granjas localizadas em diversas regiões do Estado, e tendo em vista os atrasos nos pagamentos, encontravam-se em sérias dificuldades financeiras, não podendo, em muitos casos, pagar outras contas em virtude destes atrasos.

Na ocasião, a ACSURS tomou diversas medidas, visando reverter o caso. No entanto, nos últimos dias, as reclamações dos suinocultores em relação à empresa voltaram à tona.

Um suinocultor proprietário de uma granja na serra gaúcha já entregou 3 lotes de suínos para a empresa, estando sem receber valor algum da empresa há 3 meses, totalizando um atraso no pagamento superior a R$ 220 mil. Este atraso acarretou para o produtor o atraso no pagamento dos 16 funcionários de sua granja. Além disto, afirma que está “estourado com seu cheque especial”, tendo dívidas superiores a R$ 110 mil com os bancos.

Ao questionar o veterinário responsável pelo fomento da empresa, obteve a resposta de que não há previsão para o pagamento ser feito, nem sequer uma justificativa sobre o motivo dos atrasos.

Outro suinocultor, também proprietário de uma granja na serra gaúcha está há quatro meses sem receber da empresa, desde junho. “O último lote que recebi algum valor foi o que entreguei em maio. Depois disso, não recebi mais nada. Estou literalmente com a corda no pescoço, trabalhando apenas no cheque especial. Perguntei para um técnico veterinário o porquê destes atrasos e ele também não sabe. Uma vez até falavam para eles e agora, nem isso fazem. Nós precisamos ter uma posição da empresa sobre isso”, afirmou o produtor.

Ainda, o produtor que tem quatro funcionários expôs que tem um empréstimo de R$ 80 mil, o qual financiou junto a bancos, que precisar ser pago. Um de seus vizinhos, que também é suinocultor, teve de pedir dinheiro emprestado para seus vizinhos para poder pagar a conte de luz de sua granja. Seus pagamentos atrasados somam o valor de R$ 72 mil.

Em outra região do Estado, no Vale do Taquari, produtores acusam atrasos de três lotes entregues (três meses), totalizando dívidas em torno R$ 40 mil cada, além de falta na entrega de medicamentos. Um produtor, inclusive, diz que em novembro precisa pagar mais de R$ 40 mil em renegociação de dívidas e financiamentos e, por isso, está aflito, pois não visualiza nenhuma expectativa de mudança financeira da Doux Frangosul.

“Perguntamos para os técnicos da empresa o que está acontecendo e quando vão começar a nos pagar e eles não sabem o que dizer. Assim nós ficamos a ver navios”, desabafa um suinocultor.

Além destes, há vários outros suinocultores esperando para receber os pagamentos. Segundo Valdecir Luis Folador, Presidente da ACSURS que tem acompanhado o caso atentamente e tem recebido muitas ligações e e-mails de produtores relatando estes casos, “infelizmente, a empresa não está tratando os produtores como deveria tratar, ou seja, não está havendo seriedade. Já foram apresentados diversos cronogramas de pagamentos e nenhum deles foi cumprido conforme o previsto ou combinado com os produtores. Além disto, falta transparência com os suinocultores, pois a Doux não tem dado nenhuma satisfação sobre este atraso. O produtor é o grande pilar se sustentação da empresa e, em virtude destes atrasos, está enfrentando sérias dificuldades financeiras. É um momento muito difícil”.
Tags:
Fonte: ACSURS

0 comentário