RN: parcela atrasada do Programa do Leite é paga

Publicado em 26/10/2010 09:17
263 exibições
O Governo do Estado cedeu à pressão dos fornecedores do Programa do Leite e pagou uma das parcelas atrasadas. O repasse de aproximadamente R$ 3 milhões ocorreu sexta-feira (22), fazendo com que as indústrias de laticínios mantivessem a entrega do produto, que chega diariamente a mais de 155 mil beneficiários no Rio Grande do Norte. Anualmente, são investidos cerca de R$ 84 milhões na compra do leite bovino e caprino distribuído junto à população.

Sem dar detalhes, o secretário Estadual de Planejamento e de Finanças, Nelson Tavares, afirma que o pagamento de uma das parcelas atrasadas aos fornecedores foi efetuada na manhã de sexta. Apesar disso, o titular da Seplan ressalta que a medida não representa "qualquer novidade" em relação ao acordo já existente, uma vez que o governo havia se prontificado a zerar o débito até o final do ano, pagando as parcelas mensais em conjunto com as atrasadas. O vice-presidente do Sindicato das Indústrias de Laticínios e Produtos Derivados do Rio Grande do Norte (Sindleite), Berlamino Macedo confirma o pagamento da parcela e garante que o fornecimento não será suspenso. De acordo com ele, o dinheiro só deverá chegar às contas dos produtores nos próximos dois dias úteis.

Já em relação ao pagamento da parcela seguinte, previsto para a próxima terça-feira (26), Macedo diz ter recebido uma nova proposta por parte do governo, que será debatida em assembleia da categoria, marcada para a tarde de hoje. "Prefiro não dizer agora que proposta foi essa, já que ela ainda não fio debatida entre os produtores", conclui.

O responsável pelo Programa do Leite na Emater, Manoel Pereira Neto, diz que a entidade pagará R$ 0,80 por litro de leite bovino e R$ 1,30 do caprino, direto aos produtores. Já as usinas receberão R$ 0,52 pela captação, processamento e distribuição de cada litro do produto. Pereira Neto afirma que a Emater está empenhada em manter o pagamento do Programa do Leite em dia. Ele explica que a partir de agora, o programa é subsidiado por verbas federal e estadual, ao contrário do que ocorria até o mês de setembro deste ano, quando a responsabilidade em pagar aos produtores era apenas do Governo do Estado. "O Estado terá que pagar menos pelo leite a partir deste mês de outubro e já expusemos a necessidade de manter os vencimentos em dia. Assim, o próximo governo não assumirá qualquer dívida do programa".
Tags:
Fonte: Tribuna do Norte

Nenhum comentário