Mercosul ajusta proposta à UE para venda de frango

Publicado em 02/02/2011 07:06 205 exibições
Os exportadores de frango do Mercosul adequaram a proposta conjunta que o segmento preparou para apresentar à União Europeia no próximo mês de março, em Bruxelas. A primeira versão, que previa o fim das cotas de exportação ao bloco europeu e a criação de uma tarifa única, foi alterada. O novo pedido admite a política de cotas, mas com volumes maiores que os apresentados até agora e com tarifa zero para as vendas dentro da cota.

Por enquanto, os exportadores do bloco sul-americano mantêm sob sigilo o volume exato de frango que será pedido para a cota. O receio é que os produtores europeus se mobilizem com antecedência para elevar as pressões sob o parlamento europeu. O que já se sabe é que a proposta do Mercosul contempla um volume superior às 250 mil toneladas de frango in natura já solicitadas pelo bloco em 2006.

A alteração na proposta foi feita com objetivo de transformar o que era considerado "ideal" pelos exportadores de frango por um pedido realista dentro do histórico das negociações com a Europa. A mudança, contudo, ainda considera fundamental a manutenção do sistema de desgravação, ou seja, a redução gradual das tarifas impostas aos produtos que são importados pelo bloco europeu.

Ainda que o Brasil seja o principal exportador de carne de frango do Mercosul, a posição conjunta do bloco confere uma força maior nas negociações junto aos europeus. "Nosso objetivo foi unir o discurso dos membros do Mercosul para levar aos respectivos ministérios das Relações Exteriores de cada país uma proposta única do setor privado, antecipando o processo", afirma Francisco Turra, presidente da União Brasileira de Avicultura (Ubabef).

O representante dos exportadores brasileiros reconhece que o país terá suas exportações impulsionadas, mas lembra que Paraguai e Uruguai poderão se associar a empresas do Brasil para passar a exportar carne de frango aos europeus. "Em sendo aprovada a proposta, acredito que nossas exportações para os países europeus poderão crescer de forma significativa. O mercado europeu é muito importante e aquele que demanda produtos de maior valor agregado", diz. No ano passado, foram mais de 471 mil toneladas de frango exportadas do Brasil para a Europa, que renderam ao país US$ 1,2 bilhão.

A proposta conjunta apresentada pelo Mercosul não altera em nada a cota individual obtida pelo Brasil nas negociações diretas com o bloco europeu. Hoje, o Brasil possui, sozinho, uma cota de 11 mil toneladas para carne de frango in natura, 170 mil toneladas de peito de frango salgado, 94 mil toneladas de carne de peru e 79 mil toneladas de produtos cozidos. A Ubabef informa que essas cotas foram conseguidas junto à UE quando os europeus elevaram as tarifas para importação de frango acima dos limites da Organização Mundial do Comércio (OMC). Com isso, as cotas foram concedidas ao Brasil como forma de compensação. A cota que o Mercosul obtiver e o que dela for destinado ao Brasil na divisão que o bloco acertar se somará ao que já está garantido ao país.

Tags:
Fonte:
Valor Econômico

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário