Produtores de ovos comemoram aumento na procura e no preço pago

Publicado em 25/03/2011 07:46 204 exibições
No período da quaresma, o consumo de carne cai e o de ovos aumenta. Produtores reclamam do alto custo de produção e dos insumos.
Com a chegada da quaresma, o consumo de ovo aumenta e os preços pagos ao criador ficam melhores. Mesmo assim, eles reclamam que os valores ainda não são suficientes, isso porque o custo de produção está alto.

Em Santa Maria de Jetibá, no Espírito Santo, segundo maior produtor de ovos do Brasil, 300 mil dúzias saem das granjas todos os dias. A economia do município depende desta produção. Elimar Schwambach tem 44 mil galinhas. O preço da caixa com 30 dúzias paga ao produtor está valendo R$ 52, alta de 13% desde o final do carnaval. “Chega a faltar ovos no mercado nesta época do ano por causa da procura. O preço fica melhor só que os insumos também acompanham. Se não fosse a melhora no preço pago, nós estaríamos trabalhando no vermelho”.

O outro responsável pelo aumento no preço final do ovo são os ingredientes da ração da galinha. Os principais, milho e soja foram os que tiveram maior variação.

O gerente de uma cooperativa explica que o valor dos produtos vem subindo desde ano passado. “Desde de agosto, o produtor vem amargando prejuízos na produção por causa do custo para produzir o ovo. A alta nas matérias-primas gerou um aumento em torno de 30% no custo de produção”, disse Fábio Braga, gerente executivo da Coopeavi.

Em São Paulo, maior produtor de ovos do Brasil, na cidade de Bastos, responsável por 60% da produção de ovos do país, o preço de uma caixa com 30 dúzias subiu 2,4% desde o início de março. O produtor Roberto Tsuro explica que na quaresma se consome mais ovo, principalmente na região nordeste do país, que é mais religiosa. Cidades que consomem uma carga de ovo, hoje pedem duas. A grande procura mexe no preço do ovo.

Em comparação ao mesmo período do ano passado, o preço do ovo também está bem mais alto. Em 2010, durante a quaresma, uma caixa com 30 dúzias de ovos era vendida a R$ 39. Este ano, a mesma caixa não sai por menos de R$ 51.

O aumento vem em boa hora, já que o milho, utilizado como ração para os animais, também está mais caro. “Ano passado, a saca de milho de 60 quilos estava R$ 18 e hoje sai por R$ 32”, justificou Wellington Koga, presidente do Sindicato Rural de Bastos e produtor.

Tags:
Fonte:
Globo Rural

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário