Desempenho do frango vivo na terceira semana de abril

Publicado em 18/04/2011 10:06 214 exibições
A duras penas – sem trocadilho – o frango vivo comercializado no interior paulista conseguiu manter, na terceira semana do mês, a mesma cotação alcançada na semana anterior. O que não refletiu as condições reais do mercado, com oferta superior à demanda e, por decorrência, com vários negócios realizados em condições inferiores às referenciais.

Seria apenas o efeito da Quaresma, que agora vai chegando ao fim? Pode ser. Mas mesmo isso não cria expectativas diferentes das atuais, porquanto estamos entrando agora na segunda quinzena do mês, período em que o ritmo das negociações sofre forte desaceleração. E como o frango tornou-se o prato do dia a dia, não mais dos dias de festa, nem mesmo o advento da Páscoa, as probabilidades de uma reação se tornam mínimas.

A realidade, enfim, é que o frango vivo inicia a segunda metade do mês com a menor cotação dos últimos oito meses e uma redução de praticamente 11% em relação ao mês anterior. Registrar ganho de 28% seria uma vantagem não fosse o fato de, há um ano, o produto ter se desvalorizado quase 12% em relação ao ano anterior. E isso quer dizer que o atual preço médio do frango vivo está apenas 13% acima da média de dois anos atrás. Ou seja: continua perdendo até da inflação.

Tags:
Fonte:
AviSite

0 comentário