Afinal, Brasil é ou não é o maior exportador mundial de carne de frango?

Publicado em 10/06/2011 09:16 247 exibições
Na quarta-feira (8), em seu primeiro relatório deste ano sobre as perspectivas mundiais de produção, comércio e consumo de carnes no corrente exercício, a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), ao analisar as tendências das carnes avícolas, observou que em 2011 o Brasil pode se tornar o primeiro exportador mundial de carne de frango – afirmação que chegou a ser reproduzida por parte da imprensa brasileira. No entanto, estatísticas internas e externas mostram que há tempos – isto é, desde 2004 – o Brasil se mantém na liderança mundial das exportações de carne de frango. Afinal de contas, somos ou não os maiores exportadores do produto? Principalmente: de onde saem os números da FAO relativos ao Brasil, notoriamente inferiores aos dados oficiais?

Mensalmente, ao divulgar a evolução de preços da carne de frango no mercado internacional, a FAO cita como sua referência o Sistema Alice do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC). Ou seja: não só no tocante ao preço, mas também em relação ao volume, dispõe de uma fonte fidedigna. Então, porque seus números não são coincidentes?
Buscando a resposta no site da própria FAO, constata-se que os valores por ela adotados referem-se à carne de frango in natura, exclusivamente. Ou seja, não incluem a carne de frango salgada nem os industrializados de frango (cujo volume – em carne – é, efetivamente, difícil de quantificar).

De toda forma, a liderança brasileira é reconhecida pelo Departamento de Agricultura dos EUA (USDA) que – mesmo não computando nas exportações as vendas de patas de frango – confirma a liderança brasileira desde 2004.

Uma vez que a série histórica disponibilizada pela FAO em seu site vai, por ora, até 2008, os números relativos ao triênio 2009/2011 são complementados com projeções do USDA (quadro final abaixo). Elas também confirmam a posição de líder do Brasil.

Tags:
Fonte:
AviSite

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário