Desempenho do frango vivo em junho e no primeiro semestre de 2011

Publicado em 01/07/2011 09:22 216 exibições
Alguém menos avisado dirá que o produtor de frangos não tem do que se queixar, pois, afinal, todos os resultados do setor superaram, por exemplo, o IGP-M, primeiro indicador inflacionário do mês e um dos principais adotados pela economia. Senão, vejamos:

- Em junho, o IGP-M recuou 0,18%, enquanto o frango vivo valorizou-se 0,72%;

- No primeiro semestre, o frango vivo alcançou, na média, valor nominal 23,65% melhor que o do mesmo período de 2010. Já o IGP-M do período aumentou não mais que 3,15%;

- O valor médio recebido pelo frango vivo em junho de 2011 foi quase 20% superior ao do mesmo mês do ano passado – uma variação bem superior à acumulada pelo IGP-M nesses 12 meses, de 8,65%.

Porém, o empresário avícola sabe que não é bem assim. Sabe, por exemplo, que os ganhos do semestre ficaram resumidos aos três primeiros meses do ano. Porque, entre abril e junho a produção se tornou onerosa, já que o preço recebido passou a superar o custo de produção. Dessa forma, tudo o que havia sido obtido no primeiro trimestre acabou neutralizado no segundo.

Além do prejuízo, no entanto, continua pesando sobre o setor a perda do poder aquisitivo em relação ao principal insumo do frango, o milho. Veja-se, por exemplo, o que ocorreu em junho passado comparativamente a junho de 2010: um ano atrás, ao vender uma tonelada de frango vivo, o produtor conseguia adquirir cerca de 4,2 toneladas de milho. Já no encerramento do primeiro semestre de 2011 o produtor necessitou de um terço a mais de frangos para adquirir idêntico volume de milho. Isso, note-se, em um ano, porque comparativamente a junho de 2009 o volume de frangos necessários para a compra de uma tonelada de milho é cerca de dois terços maior.

Em circunstâncias como essa, a única forma de reequiparar custos e preços é através da readequação da oferta à procura. Mas o próprio comportamento do mercado indica que, pelo menos até o encerramento do semestre, nada foi feito nesse sentido.

Aliás, embora a queda de preços do frango nesse período do ano seja acontecimento rotineiro, desta feita os maus resultados foram exacerbados. Assim, por exemplo, a média histórica do setor aponta que no mês de junho o frango vivo alcança valor correspondente a cerca de 96,5% do preço médio de dezembro do ano anterior. Mas em 2011 a cotação média de junho – R$1,62/kg – correspondeu a menos de 78% do preço registrado em dezembro de 2010. Ou seja, “alguma coisa está fora da ordem”...
Tags:
Fonte:
AviSite

0 comentário