Leite está mais caro para o consumidor no Sul do país

Publicado em 14/07/2011 08:34 e atualizado em 14/07/2011 09:20 181 exibições
Produto teve alta entre 5% e 8% no mercado do Rio Grande do Sul.
Como o frio intenso reduziu a produção do leite no Rio Grande do Sul, o consumidor já começa a sentir no bolso o reflexo. O produto deverá fechar a semana com um acréscimo de 5% a 8% para o consumidor.

A tendência, entretanto, é de que esse preço se estabilize em julho, a não ser que a temperatura volte a cair, prevê a Associação Gaúcha de Supermercados (Agas). Segundo o presidente da entidade, Antônio Cesa Longo, como o período de entressafra do leite vai até agosto, há ainda uma pequena margem para algum aumento. Mas o dirigente acredita que o efeito possa ser reduzido já que o produtor tem se preparado melhor para esta época do ano com ração de qualidade para o gado, em razão dos problemas com frio intenso e geadas afetarem as pastagens.

Para o Sindicato das Indústrias de Laticínios do Estado (Sindilat), a queda estimada na produção de leite deverá ser próxima a 15 milhões de litros até o final do mês, comparada ao mesmo período de 2010.

– Calculamos uma redução de até 10% na produção do leite em julho, o que significa 500 mil litros por dia. A situação deve ser normalizada na segunda quinzena de agosto – explica o diretor do Sindilat, Darlan Palharini.

Alguns produtores também sentem o impacto da baixa produção no bolso. É o caso de Remi Luis Becker, que teve a produção de 1,9 mil litros diários reduzida em 30%. Becker possui uma propriedade no interior de Augusto Pestana (RS).

– A aveia e o azevém de 50 hectares queimaram. Tive um gasto adicional de R$ 450 por dia com ração e silagem para as 70 vacas, e mesmo assim a produção caiu. Vou investir na adubação de cobertura com nitrogênio para acelerar a recuperação do pasto. Isso deve gerar mais gastos – destaca o produtor.

Tags:
Fonte:
Zero Hora

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário