Hong Kong deverá ocupar o lugar da Rússia como principal importador de carne suína brasileira em 2011, prevê ABIPECS

Publicado em 08/11/2011 08:10 154 exibições
O presidente da Associação Brasileira da Indústria Produtora e Exportadora de Carne Suína – ABIPECS, Pedro de Camargo Neto, prevê que ainda neste ano Hong Kong passará a ser o primeiro destino para a carne suína brasileira. “Está quase superando a Rússia”, comenta.

De janeiro a outubro deste ano, o Brasil exportou 120,73 mil toneladas de carne suína para a Rússia, enquanto vendeu para Hong Kong, no mesmo período, 107,50 mil t. Reduzir a dependência do mercado russo é um imperativo para o setor. E isso está acontecendo graças ao crescimento de outros mercados, enquanto os embarques para a Rússia vêm despencando em função do embargo que já dura cerca de cinco meses. No acumulado do ano, nota-se também o crescimento das vendas de carne suína brasileira para Ucrânia, Angola, Cingapura, Uruguai, Albânia, Venezuela e Haiti.

De acordo com o Departamento de Agricultura dos EUA, em 2012, a Rússia deixará de ser o segundo maior importador mundial. Nessa posição, entrará a soma de Hong Kong e China. A Rússia passará para o terceiro lugar no ranking dos importadores mundiais. O primeiro comprador é o Japão, com 1,2 milhão de toneladas/ano.

Segundo o USDA, em 2011, a Rússia importará 930 mil toneladas de carne suína e a China e Hong Kong, juntos, importarão 910 mil toneladas; em 2012, serão, respectivamente, 700 mil toneladas e 940 mil toneladas.

Essa previsão se aproxima do que já está acontecendo com as vendas externas brasileiras de carne suína. As exportações para Hong Kong e China deverão ultrapassar, em 2012, as destinadas à Rússia, hoje ainda o principal mercado do Brasil. Os primeiros embarques de carne suína para a China acontecem neste mês de novembro, e as vendas para Hong Kong, em outubro, já colocaram esse destino em segundo lugar. Em outubro, as vendas para o mercado russo caíram 83,77% em toneladas, ante outubro de 2010, enquanto para Hong Kong houve crescimento de 36,75% e de 32,42% no acumulado do ano, em relação ao mesmo período do ano passado.

No mês de outubro, houve uma redução das exportações de 7,07% em volume e de 5,51% no acumulado do ano. Já o faturamento aumentou 8,64% no mês e 5,88% de janeiro a outubro. Houve uma elevação do preço médio de 16,90% em outubro e de 12,05% nos dez primeiros meses do ano.

Até outubro, o Brasil exportou 436,45 mil toneladas e obteve uma receita de US$ 1,20 bilhão.

Neste ano, a Ucrânia encontra-se em terceiro lugar como destino da carne suína do Brasil. De janeiro a outubro, comprou 53 mil t, um crescimento de 43,63%, em relação a igual período de 2010. A Argentina é o quarto maior mercado comprador (crescimento de 21,75% em toneladas, em outubro), seguida de Angola (crescimento de 5,51% em toneladas em outubro).

Tags:
Fonte:
AI ABIPECS

0 comentário