Boas notícias mantêm mercado do arroz estável, com ligeira recuperação

Publicado em 21/03/2012 08:17 e atualizado em 21/03/2012 08:53 542 exibições
Release enviado pelo Planeta Arroz.
Um conjunto de informações positivas para o mercado nos últimos dias é responsável pela reação dos preços do arroz esta semana. O mercado reagiu com alta ao anúncio, pelo ministro Mendes Ribeiro Filho, de R$ 737 milhões para dar suporte à comercialização de arroz via contratos de opção pública, Aquisições do Governo Federal (AGFs), Prêmio de Escoamento de Produto (PEP-exportação) e Prêmio Equalizador Pago ao Produtor (Pepro). Na soma, serão retirados do mercado pelo menos 2,02 milhões de toneladas de arroz agora, no pico da safra.

Além disso, os bancos estão oferecendo recursos para EGFs e o governo anuncia que manterá a política de compra direta dos pequenos agricultores, em valores próximos de 30,00 a saca, ainda que em pequenos volumes, que negocia o estabelecimento de cotas de importação de arroz da Argentina (o próximo é o Uruguai), que lançará uma campanha de apoio ao consumo e, por fim, que desburocratizará o acesso aos mecanismos pelos produtores. Também é boa notícia a de que está sendo realizado um estudo para credenciar o produtor, pessoa física, para a armazenagem de produto referente aos mecanismos de comercialização. 

EXPORTAÇÕES

Soma-se a isso, o fato de o Brasil ter alcançado um recorde absoluto nas exportações de arroz, que somaram 2,09 milhões de toneladas, ou 234% mais vendas externas (40 mil t acima do previsto pela Conab). Quase 60% do volume foram destinados aos países africanos, com 65% do volume total de arroz beneficiado, portanto, com valor agregado e a geração de empregos e renda no Brasil. Só o arroz parboilizado representou 840 mil toneladas, ou 40% das vendas.

Ao longo do ano comercial 2011/12, o Brasil importou 821,4 mil toneladas, ou seja, 29 mil toneladas baixo da previsão da Conab, o que torna o estoque de passagem brasileiro ainda mais apertado. A diferença para a previsão da Conab e o realizado, alcança quase 70 mil toneladas, o equivalente a um mês inteirinho de importações do Mercosul. Segundo o analista da Agrotendências Consultoria em Agronegócios, Tiago Sarmento Barata ( www.agrotendencias.com.br ), a Argentina representou 42,6% das compras brasileiras de arroz no mercado externo, seguida do Uruguai com 28,7% e do Paraguai com 28,3%. O estoque de passagem será ainda mais apertado para o Brasil, o que deve indicar preços mais justos ao produtor, que pelo menos cubram o preço mínimo de garantia do governo. O anúncio de recursos para PEP, pode fortalecer as vendas externas em 2012.

SAFRA

O levantamento de safra divulgado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) confirmou a expectativa de uma safra nacional de 11,27 milhões de toneladas, reduzida em 17,2% sobre a temporada anterior, que foi um recorde produtivo. A área semeada caiu 10,8% e a produtividade, afetada pelo clima e menor aplicação de insumos por causa dos baixos preços praticados em 2011/12, cairá 7,2%. Só o RS deverá ter uma produção 21% menor. Ainda assim, representará 62,5% de todo o cereal colhido no Brasil. O quadro de oferta e demanda da Conab, no entanto, é incoerente, pois aponta um estoque de passagem menor do que o estoque público oficial em quase 100 mil toneladas. Informalmente, técnicos do MAPA dizem que esta incongruência está relacionada à falta de informações dos estoques privados, já que as indústrias se negam a informar seus estoques ao governo por questões estratégicas e mercadológicas. Todavia, um levantamento está em fase de conclusão, embora na forma de questionário no qual a empresa informa quando quer e quanto quer. As estimativas de consumo também apontam evidências de erro.

Diante de todo este cenário, os preços médios praticados nos últimos dias no Rio Grande do Sul ficaram em torno de R$ 25,00 para o produtor, mesmo patamar referencial de Santa Catarina. O indicador Cepea/Esalq, Bolsa Brasileira de Mercadorias - BM&FBovespa, desta terça-feira, fechou indicando cotação média de R$ 25,65, com queda acumulada de 3,17% em março. O Índice já superou os 3,51%, com preços médios na semana que passou na faixa de R$ 25,57 por saca de 50 quilos, tipo 1 (58x10), posto na indústria gaúcha. Em novembro, a média chegou a superar 27,35

MERCADO

A Corretora Mercado, de Porto Alegre, indica preços médios de R$ 55,80 para a saca de arroz beneficiado de 60 quilos, e R$ 25,50 para a saca de 50 quilos de arroz em casca no Rio Grande do Sul. Entre os derivados, o canjicão de arroz mantém o preço médio de R$ 33,00 para a saca de 60kg, enquanto a quirera apresenta queda de quase 7% e chega a R$ 28,00 a saca. Já o farelo de arroz manteve-se em R$ 290,00 a tonelada fob/RS.
Tags:
Fonte:
Planeta Arroz

0 comentário