Anunciados R$ 38 milhões para assentamentos gaúchos na abertura da colheita do arroz orgânico

Publicado em 03/04/2012 07:43 356 exibições
Durante a 9ª Abertura da Colheita do Arroz Agroecológico, na manhã desta segunda-feira (2/4), na sede da Cooperativa de Produção Agropecuária dos Assentados, em Nova Santa Rita, o governador Tarso Genro assinou Empenho no valor de R$ 38 milhões, que serão investidos em obras de irrigação e gestão da água em 47 assentamentos do Estado. O evento contou com a participação dos ministros da Integração Nacional, Fernando Bezerra, e do Desenvolvimento Agrário, Pepe Vargas. A abertura da colheita e o anúncio do repasse de recursos do programa Água Para Todos, do Governo Federal, foi prestigiado por secretários de Estado, deputados federais e estaduais e lideranças de movimentos sociais, além dos presidentes da Emater/RS, Lino De David, do Irga, Cláudio Pereira, e do Incra, Celso de Lacerda, entre outros representantes de instituições ligadas ao setor, bem como de assentados e trabalhadores rurais do RS.

Na ocasião, Tarso e Bezerra assinaram o termo de empenho de R$ 38 milhões, que terá uma contrapartida do Estado de R$ 2 milhões. Esse recurso deverá ser investido, ainda neste ano, em projetos de redes de abastecimento e poços artesianos nos assentamentos. A meta do Ministério é atender a 47 assentamentos, em 18 municípios gaúchos.

Bezerra afirmou que o investimento do Programa Água para Todos no Rio Grande do Sul é uma resposta a um apelo do Governo gaúcho para atender aos atingidos pela estiagem. Segundo ele, devem ser implantados 47 sistemas de abastecimento para levar água para os assentamentos do RS, “colocando o Estado na liderança dos movimentos regionais”, disse.
 
PRIORIDADES

O governador Tarso Genro afirmou que a prioridade do Governo é com as comunidades de baixa renda do campo. Lembrou que, através da Secretaria de Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo (SDR), o Executivo promove "a recuperação e consolidação dos assentamentos, viabilizando alternativas para que vençam suas crises e auxiliando modelos que dão certo". O governador disse acreditar que os assentamentos são uma das soluções para o desenvolvimento rural do RS.

O ministro Pepe Vargas afirmou que a solenidade é símbolo da sustentabilidade da agricultura familiar na produção orgânica. Lembrou que as mesmas famílias que viviam embaixo de lonas hoje estão em assentamentos, produzindo resultados positivos para a economia gaúcha e para a agricultura familiar. Pepe Vargas também destacou o conjunto de políticas públicas que viabilizam a agricultura familiar, inclusive na melhoria da infraestrutura dos assentamentos.
 
De acordo com o titular da SDR, Ivar Pavan, a colheita do arroz orgânico dos assentamentos representa a viabilidade econômica de um modelo de produção de alta qualidade. "A produção é sadia, tanto para quem planta como para quem colhe e, principalmente, para quem consome”.
 
O presidente da Emater/RS, Lino De David, ressalta que a Abertura da Colheita do Arroz Agroecológico “expressa um modelo de desenvolvimento que vem sendo construído, e se preocupa com a qualidade do alimento e de vida de quem produz e de quem consome”. Para ele, os investimentos em captação e fornecimento de água nos assentamentos, através de poços artesianos e de cisternas, “demonstram que o Governo Federal coloca a Reforma Agrária na pauta política do desenvolvimento rural do país”.
 
Para o diretor nacional do MST, João Paulo Rodrigues, “é possível produzir alimentos de forma diferenciada, orgânica e com qualidade. Assim, podemos mostrar que o assentamento é um bom local para se viver”, disse. Para Emerson Giacomelli, coordenador do Grupo Gestor do MST, investir nos assentamentos garante a produção de alimentos limpos. “Estamos avançando”, afirmou, ao calcular em mais de 160 os itens produzidos em assentamentos direcionados para os programas de Aquisição de Alimentos e o de Alimentação Escolar.
 
Também participaram da abertura da colheita, o secretário-adjunto da SDR, Ronaldo de Oliveira, o diretor do Departamento de Desenvolvimento Agrário da SDR, Jaime Martini, deputados federais, estaduais e lideranças dos movimentos sociais. O evento contou ainda com a participação e apoio de entidades governamentais como Conab, Irga, Emater, Embrapa, BRDE (Banco de Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul) e Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento.

ARROZ ORGÂNICO

O arroz agroecológico cultivado nos assentamentos é produzido da Região da Grande Porto Alegre e São Gabriel. A produção envolve, diretamente, 16 assentamentos em 11 municípios, com uma área cultivada de 3.618 hectares, e produção estimada em mais de 300 mil sacas para a safra 2011/2012.

A produção recebe o certificado de orgânico, conforme as leis brasileira e internacional. Com o ato de abertura da colheita do arroz orgânico, os assentados buscam integrar as famílias produtoras e a sociedade em geral, no sentido da afirmação da produção alternativa na cadeia do arroz no Estado. Assentados de São Gabriel, Bagé, Santana do Livramento, Manoel Viana e Eldorado do Sul também participaram do evento.

Tags:
Fonte:
Emater/RS

0 comentário