Ministério publica Zoneamento Climático para safra 2012/2013 de feijão no TO

Publicado em 27/11/2012 06:41 423 exibições
Grão registrou crescimento entre as três safras de 2011/2012.
A SPA – Secretaria de Política Agrícola do Mapa – Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento - publicou no DOU - Diário Oficial da União, portaria estabelecendo o Zoneamento Agrícola de Risco Climático para a 2ª safra de feijão no Tocantins, safra 2012/2013. De acordo com dados do levantamento da Conab – Companhia Nacional de Abastecimento, de novembro de 2012, o Tocantins deverá produzir 19,2 mil toneladas do grão para este período, 32% a mais que a segunda safra do período 2011/2012.

O zoneamento é realizado todos os anos e visa enquadrar produtores para que tenham acesso ao Proagro - Programa de Garantia da Atividade Agropecuária. O programa do Governo Federal garante a exoneração de obrigações financeiras relativas à operação de crédito rural de custeio, cuja liquidação seja dificultada pela ocorrência de fenômenos naturais, pragas e doenças que atinjam plantações, na forma estabelecida pelo Conselho Monetário Nacional – CMN.

De acordo com o secretário executivo da Agricultura, da Pecuária e do Desenvolvimento Agrário, Ruiter Padua, é necessário que o produtor siga as normas e datas para o plantio aplicadas pelo zoneamento do Mapa, caso contrário, corre o risco de não ter acesso ao seguro. “É importante ressaltar que plantar dentro dos prazos estabelecidos pelo zoneamento, é condição para que o produtor consiga o seguro. Se ele plantar em desacordo com o que está definido, não consegue a remuneração”, completou, acrescentando que mesmo com a produção cumprindo os prazos determinados pela SPA, é preciso que ele procure o órgão para a contratação do seguro contra prejuízos causados por causas climáticas.

Características

Na maioria dos municípios tocantinenses, o Mapa apontou como período ideal para a semeadura do feijão, os primeiros meses do ano, entre o início de janeiro e as duas últimas semanas de fevereiro.

No Tocantins, a chegada do período chuvoso e a variação na temperatura do ar afetam a produção do grão. Temperaturas elevadas ou muito baixas, principalmente no período de florada e frutificação são, segundo a nota, prejudiciais à cultura. Além disso, o rendimento do feijoeiro é afetado pela condição hídrica do solo. Com o excesso de chuvas neste período, a colheita acaba atrasando e os grãos podem apresentar manchas e brotamento precoce, o que reduz a produção e o valor do produto.

Zoneamento

Com a delimitação climática, a Secretaria de Política Agrícola do Mapa visou identificar os municípios aptos e os períodos de semeadura, para o cultivo do feijão durante a 2ª safra no Estado, em condições de baixo risco. Essa identificação foi realizada a partir de análises térmicas e hídricas, conforme a nota técnica da SPA.

Dados

De acordo com o coordenador de Desenvolvimento Vegetal da Seagro, José Américo Vasconcelos, as três safras de feijão no Tocantins são: de agosto a janeiro (1ª safra), de janeiro a maio (2ª safra) e de maio a julho (3ª safra). Desta forma, a primeira safra do período 2012/2013 ainda está em andamento e ainda não possui dados referentes ao volume de produção.

Na safra 2011/2012, o Tocantins apresentou uma crescente produção do grão. A primeira safra registrou 5,18 mil toneladas de feijão; na segunda de 14,55 mil toneladas e na terceira de 26,26 mil toneladas, segundo dados do IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística e da Conab – Companhia Brasileira de Abastecimento.
Tags:
Fonte:
Sec. Agricultura de TO

0 comentário