Publicidade

Aprosoja MS busca estratégias para armazenamento de grãos

Publicado em 26/04/2013 11:03 426 exibições
Busca de armazéns públicos e maior utilização dos silos bag, um tipo de armazenagem improvisada, são possibilidades apontadas por cooperativas e pela Associação dos Produtores de Soja (Aprosoja MS – Sistema Famasul) para contornar o excesso de estocagem de Mato Grosso do Sul. As alternativas foram apontadas durante reunião na sede da superintendência regional na Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), nessa quinta-feira (25). Com capacidade estática de armazenagem de 7,72 milhões de toneladas e 60% da safra recorde de soja estocada, a previsão é de que os produtores possam ter problemas caso não aumente o fluxo de escoamento dos grãos até os portos.

Com 851 armazéns, MS prevê uma colheita do milho safrinha equivalente a 6,2 milhões de toneladas e ainda conta com estoques de sacas da primeira safra de milho 2012/13. “Esperamos que os portos ganhem fluxo e que o escoamento passe a ter ritmo, assim conseguiremos exportar toda a soja e nos preocuparemos apenas com o armazenamento do milho”, afirma o presidente da Aprosoja MS, Almir Dalpasquale, durante reunião com o superintendente regional da Conab, Antônio Dotta, e com produtores da Cooperativa de Agronegócios de São Gabriel do Oeste (Cooperoeste).

A Cooperoeste, composta por 32 agricultores de São Gabriel do Oeste, já busca alternativas para evitar possíveis tumultos. A cooperativa é responsável por 65 mil hectares plantados e possui armazém próprio, com capacidade estática de 1,25 milhão de sacas de 60 quilos, onde já estão armazenadas 800 mil sacas de soja. O milho safrinha desse grupo de produtores deve render o equivalente a 1,5 milhão de sacas, mas só possuem espaço garantido para 400 mil sacas.

“Estamos nos prevenindo juntos a Aprosoja e a Conab e nos antecipando para uma solução. Estamos cientes de que os silos bag terão de ser acionados, caso a logística se mantenha deficitária”, salienta o presidente do armazém da Cooperoeste, Cláudio Bauzan, que solicitou espaço no silo da Conab de São Gabriel do Oeste, que tem capacidade para armazenagem de 170 mil sacas.

O silo bag consiste em um bolsão de lona plástica, onde o produtor pode armazenar seus grãos. Os tamanhos podem variar de 1,8 a 3,6 metros de diâmetro e 30, 60 ou 90 metros de comprimento, sendo que a dimensão mais comum no Brasil corresponde a 1,8 por 60 metros. De acordo com Dalpasquale essa técnica de estocagem deve ser provisória. “Não é do perfil do agricultor de MS utilizar esse tipo de armazenagem e mesmo que não diminua a qualidade dos grãos, essa deve ser uma solução temporária, que deverá ocorrer se continuarmos sem a atenção necessária do Governo Federal no que diz respeito aos portos e infraestrutura logística”, finaliza Dalpasquale.

Tags:
Fonte:
Famasul

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário