Mesmo com as más notícias, preços do arroz seguem estabilizados

Publicado em 26/10/2016 15:17 65 exibições
Nos últimos 10 dias clima e câmbio não ajudaram o setor do arroz. A boa notícia é a redução de área no Mercosul em pouco mais de 5 mil hectares

Muito embora tenha sido uma péssima notícia para os produtores que já haviam semeado o arroz para a temporada 2016/17 ou estavam preparados para tal operação nesta segunda quinzena de outubro, as enchentes ocorridas no Rio Grande do Sul, e danos pontuais nas lavouras catarinenses, geraram a expectativa de alta nos preços do cereal que está na mão dos agricultores e poderia entrar no mercado. Ruim para uns, bom para outros. No entanto, essa não é a realidade registrada no mercado neste período.

A baixa disponibilidade de grão ainda em poder dos rizicultores, indicadores de processamento e vendas muito similares aos do ano passado e um mês cheio de contas a pagar – do custeio passado, de entrada de renegociações e de insumos, serviços e mão de obra para o plantio e irrigação – mantiveram os preços estabilizados mesmo com o anúncio da necessidade de replantio de algumas áreas – ainda sendo contabilizadas – e a redução do potencial produtivo das lavouras atingidas.

Mas, há outro fator muito mais preocupante para o comportamento dos preços no mercado brasileiro ao longo deste terço final do ano comercial e na próxima temporada: o câmbio. Além da demanda crescente por arroz do Mercosul – pela frustração na safra passada brasileira e as vantagens cambiais – a retração dos preços internacionais mantêm a baixa competitividade – nenhuma no caso do grão em casca – do arroz nacional e a alta demanda por arroz importado.

Leia a notícia na íntegra no site Planeta Arroz
 

Tags:
Fonte:
Planeta Arroz

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário