Plantio de culturas de verão atrasa na Índia com progresso lento de chuvas de monções

Publicado em 17/06/2019 10:03
96 exibições

LOGO REUTERS

Por Rajendra Jadhav

MUMBAI (Reuters) - O plantio de safras de verão na Índia, como soja, algodão, arroz e milho, está com pelo menos duas semanas de atraso devido ao lento progresso das chuvas de monção nas partes central e ocidental do país, levantando preocupações sobre uma menor produção.

Uma baixa produção de soja poderia forçar a Índia a aumentar as importações de óleos comestíveis, como o óleo de palma e o óleo de soja, enquanto uma queda na produção de algodão poderia limitar as exportações do país, maior exportador global de fibras. Já a redução na produção de arroz poderia atingir os embarques do país, maior exportador mundial.

"As chuvas de monção estão atrasadas. Os agricultores não puderam começar a plantar no momento certo", disse Atul Ganatra, presidente da Associação de Algodão da Índia.

Até agora, os agricultores plantaram 8,22 milhões de hectares (20,3 milhões de acres) em plantações de verão, uma queda de 9% em comparação com o mesmo período do ano anterior, de acordo com dados provisórios do Ministério da Agricultura. O plantio de algodão caiu 9,4%, enquanto o de soja ficou com 51% de atraso no período.

As chuvas de monção atingiram o estado de Kerala, no sul da Índia, quase uma semana depois do normal no início deste mês. O progresso ficou ainda mais lento na semana passada por causa do ciclone Vayu, que puxou a umidade do mar da Arábia.

As chuvas de monções foram 43% mais baixas do que o normal até o momento em junho, mas em alguns estados, como Maharashtra, o déficit de chuvas chegou a 68%, segundo dados compilados pelo Departamento de Meteorologia da Índia (IMD).

Em Maharashtra e no estado central de Madhya Pradesh, principais produtores de soja, algodão, açúcar e leguminosas, as chuvas permanecerão abaixo da média nesta semana, mas podem se recuperar a partir da semana seguinte, disse um funcionário do IMD, que não quis ser identificado.

"A partir da próxima semana, a monção pode ganhar força", disse o funcionário.

Tipicamente, a monção cobre a maior parte de Gujarat e Madhya Pradesh em meados de junho, mas até agora a monção ainda sequer cobriu completamente o estado de Karnataka, um produtor de açúcar e milho, mostraram dados do IMD.

As monções, responsáveis por cerca de 70% das chuvas anuais da Índia, são a força vital de sua economia de 2,5 trilhões de dólares, estimulando a produção agrícola e impulsionando o consumo rural.

"O atraso das chuvas é motivo de preocupação para os produtores de oleaginosas. Se as chuvas atrasarem ainda mais, isso pode mudar os padrões de plantio e prejudicar o rendimento das lavouras", disse BV Mehta, diretor-executivo da Associação de Extratores de Solventes da Índia (SEA).

Uma projeção do IMD no mês passado apontou que a temporada de monções, de junho a setembro, deve levar a Índia a receber chuvas equivalentes a cerca de 96% da média dos últimos 50 anos.

(Reportagem de Rajendra Jadhav; edição de Christian Schmollinger)

Tags:
Fonte: Reuters

0 comentário