Heinze cobra apoio do governo para comercialização do trigo

Publicado em 20/11/2008 19:37 1253 exibições

Preocupado com a difícil situação dos produtores de trigo do Rio Grande do Sul, o deputado federal Luis Carlos Heinze (PP) tem cobrado apoio do governo federal para comercialização do produto. Durante a semana, em reuniões com o ministro da Agricultura, Reinhold Stephanes, e com técnicos da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), o parlamentar gaúcho expôs que os triticultores gaúchos estão vivendo um lamentável dilema.

“Movidos pelos incentivos governamentais e a esperança de preços compensadores os agricultores do estado aumentaram a área de trigo plantada. Agora, com a queda brusca nos preços, eles não conseguem nem pagar os custos de produção”, evidencia. Por isso, Heinze defende uma maior intervenção do governo no apoio à venda do grão. Por enquanto, em resposta a reivindicação do deputado, o governo já confirmou recursos para Aquisição do Governo Federal (AGF), Programa de Escoamento de Produção (PEP) e Contratos de Opção.

Heinze esclarece que o produtor que tiver problemas para vender o trigo deve buscar os mecanismos de compra do governo. “O triticultor gaúcho que está sofrendo para escoar sua produção deve procurar a superintendência da Conab, em Porto Alegre, para se habilitar aos programas de apoio do governo”, enfatiza. Segundo o deputado, os pregões de opção estão sendo realizados quinzenalmente, para mais informações os interessados devem ligar para     (51) 3326 6400 .

REUNIÃO – Para a próxima terça-feira (25), o deputado federal Luis Carlos Heinze (PP-RS) agendou uma reunião com o secretário de política agrícola do Ministério da Agricultura, Edilson Guimarães, e as principais lideranças da cadeia produtiva do Rio Grande do Sul e Paraná, para discutir o funcionamento dos atuais mecanismos decomercialização e as perspectivas para a venda do trigo em 2009, frente a possível redução da produção argentina.

ARMAZENAGEM – De acordo com o deputado Luis Carlos Heinze o principal problema enfrentando pelos produtores gaúchos que optam por firmar novos contratos de AGF é a falta de armazéns credenciados na Conab. Para resolver esse entrave o parlamentar interveio junto ao órgão federal para regularizar a situação da Companhia Estadual de Silos e Armazéns (Cesa).

Segundo o deputado hoje a Cesa está impedida de realizar operações com grãos dos estoques da União, por estar inscrita no Cadastro Informativo de Créditos não Quitados do Setor Público Federal – Cadin. “Estamos negociando a solução dessa pendência. Com isso, os produtores de trigo terão mais facilidade para vender ao governo”, expõe.


Fonte: AI / Dep. Fed. Luis C. Heinze

Tags:
Fonte:
AI / Dep. Fed. Luis C. Heinze

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário