Comportamento das farinhas de trigo

Publicado em 17/03/2010 11:05 421 exibições

O que pode efetivamente influenciar os mercados de farinhas de trigo no Brasil.


Embora a compra de farinha de trigo importada da Argentina tenha perdido a praticidade nos negócios, em função de normativas governamentais, importamos em janeiro deste ano 47,259 mil toneladas e em fevereiro 47,382 mil toneladas de farinha de trigo "000" e "0000" entre outras. A farinha de trigo importada do país vizinho toma aproximadamente 7% do mercado brasileiro e, assim sendo, qualquer notícia vinda da Argentina, como por exemplo: estimativa de safra, aumento de taxas ou conflitos internos, interfere diretamente nos preços das farinhas nacionais. É bem verdade que o trigo que importamos de países fora do Mercosul também pode influenciar os mercados, até porque a referência mundial de preços para as principais commodities é embasada na bolsa de Chicago. Porém, o reflexo é baixo pois dificilmente a aquisiç&a! tilde;o de pouco mais de 215 mil toneladas de trigo importados dos Estados Unidos e pouco mais de 316 mil toneladas do Canadá em 2009, poderá mudar os preços drasticamente no curto prazo. Já a Argentina sim influencia diretamente o mercado brasileiro, pois em 2009 o país exportou para o Brasil aproximadamente 3,3 milhões de toneladas de trigo, com embarques acima de 300 mil toneladas mês, exceto para os meses de junho, julho, agosto e setembro em que os embarques foram inferiores. Os preços das farinhas no Brasil devem continuar sustentando a estimativa de aumento de 3 a 5%, em função da defasagem de preços, o que seria mais um ajuste técnico que não causará qualquer reflexo no preço do pãozinho. Embora grandes empresas já tenham adquirido volumes à preços novos, eles ainda não estão convictos dos valores ! para março e abril. Dessa forma, estamos atento aos p reços das farinhas no mercado externo e à intensidade das exportações brasileiras.

Tags:
Fonte:
AF News

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário