Preço reduz o plantio de trigo

Publicado em 20/05/2010 07:46 461 exibições
Intenção dos produtores no Rio Grande do Sul é ocupar 789 mil hectares com o cereal, recuo de 8,16% em relação a 2009.
A safra de trigo no Rio Grande do Sul caminha para a redução de 70,15 mil hectares, o que representa queda de 8,16% em relação ao ano passado. No total devem ser semeados 789,6 mil hectares, ante os 859 mil de 2009. Os preços baixos e a lenta comercialização dos estoques da safra passada são os principais motivos para o desânimo dos triticultores. O cenário caminha na contramão das necessidades do País, que todo ano importa mais da metade do que produz para atender à demanda interna.

O assessor da Emater-RS Célio Colle diz que o preço final está muito abaixo do mínimo, oscilando entre R$ 21,89 e R$ 23,00 a saca de 60 quilos no Estado. "Nessa época do ano em 2009, os preços chegavam a R$ 25,23. Verificamos em um ano uma redução média de 13,2% nos preços", disse. Em 2009, foram colhidas 1,8 milhão de toneladas do cereal, com uma produtividade de 2.106 quilos por hectare, índice acima da média histórica. A expectativa para esta safra é de se mantenham os índices históricos levando a uma produção de 1,6 milhão de toneladas, o que representa redução de 10,4% em produção.

Aliado ao fator preço está a dificuldade de comercialização pelo excesso de oferta, especialmente oriunda do mercado internacional. "A baixa do dólar está favorecendo a entrada de trigo importado", avaliou o assessor econômico da Fecoagro, Tarcísio Minetto. Segundo ele, a redução de área pode ultrapassar os 8,16%, especialmente se analisada a intenção de plantio do Paraná, que foi reduzida em 16%.

Minetto lembra que a conjuntura internacional, com alta oferta do cereal, também colabora para a manutenção dos preços baixos. No mercado interno os estoques públicos em abril passado somavam 700 mil toneladas. "As perspectivas não são favoráveis para 2010, pois além de todos esses problemas, os gaúchos enfrentam ainda dificuldade de logística para escoamento da safra", disse.

Existe ainda a possibilidade de que os custos de produção para as lavouras de trigo estejam mais altos pela necessidade de incrementar o uso de fertilizantes e em alguns casos dobrar as aplicações de fungicidas, caso o clima permaneça úmido.

Em uma comparação entre as dez regiões analisadas pela Emater, a diferença mais significativa foi observada na região de Estrela, com recuo de 25,94% na intenção de plantio, seguida de Bagé, com queda de 20,94%.Entre as regiões com maior área e produção, a diminuição mais significativa em área, em relação à safra passada no Estado, deve ficar com Passo Fundo, onde a queda chega a 17,6 mil hectares (-11,23%). Na região de Ijuí, onde há a maior concentração de trigo no Estado, a diminuição alcança 13,15 mil hectares (-5,61%). Colle, da Emater, ressalta que as estimativas são iniciais que, por certo, sofrerão alterações ao longo da evolução das lavouras que começam a ser plantadas no final deste mês.

Tags:
Fonte:
Jornal do Comércio

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário