Análise do mercado de farinhas de trigo

Publicado em 30/06/2010 10:41 188 exibições
Melhora das condições do trigo brasileiro talvez leve entre 10 e 20 anos
Os preços internos do trigo brasileiro caíram nos últimos dias: o preço ao produtor caiu 7,38% em Irati/PR e 5,35% em Ponta Grossa. Subiram levemente em Londrina (0,73%) e em Maringá (0,56%). No mercado de lotes os preços da tonelada caíram 0,18% nas praças de Carazinho e de Porto Alegre. Tudo isto aconteceu logo depois do anúncio da redução de 10% do Preço Mínimo anunciada pelo governo. Mas, o governo é o que tem menos culpa no cartório, ao contrário das lideranças do setor, incapazes de pensar um novo modelo para o trigo brasileiro. Qualquer estudante de Economia e Negócios de qualquer faculdade do Mundo sabe que, se há o atendimento de apenas 50% da demanda de qualquer produto, há plenas condições de desenvolvimento deste produto. Basta fazer as coisas certas. Acreditamos firmemente que os técnicos do governo sabem quais são estas coisas certas (dão declarações a este respeito amiúde na imprensa e em congressos), mas não conseguem convencer a iniciativa privada a implantá-las. Um progresso, porém, já foi implantado: a necessidade de melhoria da qualidade do trigo brasileiro, que deverá ser cobrada nos próximos anos. A partir daí, a definição de um padrão para industrialização adequado às demandas dos consumidores, a implantação de mercados futuros, a expansão do plantio para o Centro-Oeste, a entrada das entidades dos agricultores nos demais elos da cadeia de industrialização e distribuição de produtos acabados (única forma de dar rentabilidade ao agricultor, porque qualquer ganho de produtividade é repassado ao consumidor, não a ele) e assim por diante. Trabalho para os próximos 20 anos ainda, que poderiam ser consideravelmente abreviados se houvesse iniciativas particulares neste sentido.
Tags:
Fonte:
Trigo&Farinhas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário