Seca na Rússia diminui previsão para safra global de trigo

Publicado em 29/07/2010 15:17 e atualizado em 29/07/2010 16:42 528 exibições
Diante da pior seca na Rússia em décadas, o Conselho Internacional de Grãos (IGC, sigla em inglês) reduziu nesta quinta-feira a previsão para a safra global de trigo em 2010/11 em 13 milhões de toneladas, para 651 milhões de toneladas, mas observou que esta ainda será a terceira maior safra da história.

"Um prolongado período de seca e elevadas temperaturas reduziram significativamente as estimativas de produtividade na Rússia, Cazaquistão, partes da Ucrânia e áreas no nordeste da União Europeia, enquanto o tempo úmido e enchentes prejudicaram safras no Canadá e em partes da Europa", disse o IGC.

Somente para a Rússia, o IGC reduziu a previsão para a colheita de trigo 2010/11 em sete milhões de toneladas, para 50 milhões de toneladas, enquanto a safra do Cazaquistão foi vista em 13,5 milhões de toneladas, ante 16,5 milhões de toneladas na previsão do mês passado.

Os estoques finais de trigo para 10/11 foram estimados em 192 milhões de toneladas, contra 201 milhões de toneladas na previsão passada e ante 197 milhões de toneladas da temporada anterior.

"Isso é apenas uma queda modesta em relação a temporada passada, que teve uma máxima de oito anos", afirmou o IGC.

Os estoques de trigo cresceram com a safra recorde em 2008/09 e com a segunda maior da história na temporada passada (09/10).

O consumo mundial de trigo em 10/11 foi projetado em 655 milhões de toneladas, ante 658 milhões de toneladas na previsão anterior, refletindo "uma acentuada redução no uso para ração".

Os preços do trigo subiram cerca de 30% neste mês, deixando o grão menos competitivo para o mercado de ração.

O IGC reduziu a previsão de exportações de trigo da Rússia em 10/11 para 15,3 milhões de toneladas, ante parecer anterior de 18 milhões.

A queda na produção na Rússia, no Cazaquistão e na Europa deve ser parcialmente compensada pelos Estados Unidos, com exportações agora estimadas em 26 milhões de toneladas, contra 24,1 milhões de toneladas na estimativa anterior, e com maiores vendas da Austrália, de 15 milhões de toneladas, versus 13,8 milhões anteriormente.

Milho

O prognóstico para a produção mundial de milho em 2010/11 também foi reduzido para 823 milhões de toneladas, contra estimativa anterior de 824 milhões.

Uma redução de 3 milhões de toneladas para a previsão de produção dos EUA, para 337 milhões de toneladas, foi compensada por um aumento de 3 milhões projetado na safra da China, que deve colher 165 milhões de toneladas.

"As revisões para baixo nos EUA e na UE foram amplamente compensadas com melhores prospectos na China, Ucrânia e Indonésia", afirmou o IGC.

Tags:
Fonte:
Folha de São Paulo

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário