Arroz no MT com menor área em 44 anos

Publicado em 08/10/2010 07:29
179 exibições
Apesar de todo o otimismo deste primeiro levantamento de safra da Conab, os números emitem um alerta: o arroz no Estado poderá ocupar neste ciclo a menor área já registrada em 44 anos de monitoramento da entidade.

Com a confirmação de uma produção menor, o Estado cede a terceira posição no ranking nacional para o Maranhão, cuja previsão aponta para produção de 648 mil toneladas, atrás apenas do Rio Grande do Sul, com 7,84 milhões de t, e de Santa Catarina com 1,06 milhão t.

O cereal que está entre as principais culturas do Estado, é a única com previsão de recuo. A produção deverá apresentar queda de 22,6%, ao passar de 742 mil t para 574 mil t. A área plantada poderá atingir 197 mil hectares. Se a porção se confirmar, será a menor da série histórica da Conab que mensura o comportamento da cultura em todos os estados desde a safra 66/67, ou seja, a menor área em 44 anos.

O peso da oferta maior não assusta mais, porque em nível nacional a entidade estima incremento de até 8,9% na produção que passaria de 11,26 milhões t para 12,26, acréscimo de 1 milhão de t.

Se por um lado a rizicultura estadual vai mal, o feijão que sofre de escassez neste ano e teve os preços majorados em mais de 100% na Capital no mês passado deverá expandir a produção em mais de 22%. Segundo a Conab a estimativa aponta para ampliação da área plantada em 2,9%, de 103,8 mil ha para 106,8 mil, com a produção passando de 120,9 mil t para 147,9 mil t.

Outro destaque positivo é a recuperação do cultivo do girassol, cultura onde Mato Grosso detém 70% do volume do Centro-Oeste e o primeiro no Brasil. O Estado passa de 41,7 mil t para 60 mil t. O Centro-Oeste deve atingir 82,2 mil t e o Brasil 104 mil t.

TOTAL A Conab considera os números cautelosos. Para a produção nacional a previsão preliminar é de que a safra colhida fique entre 145,72 milhões e 147,93 milhões de toneladas, com uma redução de 0,6% a 2,1% na comparação com a safra 09/10. A área plantada deve se manter estável ou sofrer ligeiro aumento (1,3%), chegando a 47,99 milhões de hectares cultivados. Considerando o intervalo maior de produção, Mato Grosso com 30,98 milhões t ofertará pouco mais de 20% do total nacional e 60% dos 53,84 milhões t estimados para o Centro-Oeste.
Tags:
Fonte: Diário de Cuiabá

Nenhum comentário