Rio Grande do Sul colhe a melhor safra de trigo da história

Publicado em 10/12/2010 09:22 443 exibições
Rio Grande do Sul colhe a melhor safra de trigo da história.
O Rio Grande do Sul colheu a melhor safra de trigo da história em produtividade. A qualidade do cereal também é superior aos anos anteriores. Mas os produtores reclamam que, quando tinha tudo para ser um bom momento, os preços estão muito abaixo do esperado.

Na padaria, é sempre a mesma choradeira.

– Está sempre aumentando, a gente tem que acostumar com o preço – lamenta a aposentada Eva Paula de Souza.

– Eu acho que cada vez vai aumentar mais – reforça Dorothy Callegari.

– Isso que a gente nem repassou o percentual que a gente pagou de aumento. A gente não repassou o aumento total, mas mesmo repassando em partes eu tenho clientes que ainda estão ligando pra cá, tentando negociar e tentando pechinchar e a gente tenta fazer isso também da melhor forma possível, porque a gente não pode perder clientes, né – afirma a gerente da padaria, Eveline Tomazi Vargas.

Na mesma padaria de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, teve que reajustar os preços em julho e até agora os consumidores reclamam. A quebra da safra da Rússia provocou uma alta nas cotações internacionais do trigo, e o valor da farinha também aumentou.

Os pães e outros produtos subiram, em média 6%, e só não foi mais porque a margem de lucro da empresa foi reduzida em 10%. O analista de mercado Élcio Bento explica que o mundo colheu nesta safra 40 milhões de toneladas a menos e o Brasil depende do grão estrangeiro, é o segundo maior importador mundial. Com a baixa oferta, Bento diz que os produtores daqui devem ser beneficiados, mas precisam esperar o momento certo para vender.

– Neste momento de ingresso de safra, como os preços estão em queda, então sazonalmente falando, temos produto entrando no mercado. Neste momento, os leilões de PEP são a melhor alternativa para comercialização, mas durante a entressafra existe sim espaço para recuperação – explica o analista.

É o que espera o agricultor Lauro Riedel. Ele plantou 100 hectares de trigo para panificação, na lavoura que fica em Santa Rosa, noroeste do Rio Grande do Sul. Riedel manteve a mesma área cultivada na safra passada, com a esperança de alta dos preços. Mas diz que os valores praticados no sul do Brasil nunca aumentam na mesma proporção das cotações internacionais:

– Há três anos a gente comercializava a R$ 32 a saca. Hoje, a gente está lutando para ver se consegue a R$ 26 a R$ 27 a saca, mas está difícil.

Mas pelo menos, no que diz respeito à produtividade, Lauro Riedel só tem motivos para comemorar. Investiu em tecnologia e colheu 48 sacas por hectare, 25% acima da média no Estado, que já é a maior da história.

De acordo com o levantamento da Emater, a produtividade por hectare no Rio Grande do Sul aumentou em 15%, o que compensou a redução de 10% da área plantada. A safra gaúcha é de cerca de 1,8 milhão de toneladas.

– A gente teve um inverno, assim, bastante rigoroso, que potencializou o desenvolvimento vegetativo da cultura. E na fase de colheita, enchimento de grão e final de colheita, toda numa fase de baixa precipitação. A gente está conferindo nessa safra, em relação à produção, e principalmente em relação à qualidade do grão, que é excepcional – afirma o engenheiro agrônomo da Emater-RS Célio Colle.

O Brasil deve produzir este ano 5,5 milhões de toneladas de trigo, aumento de 10% em relação à safra passada.

Tags:
Fonte:
Canal Rural

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário