"Dia da Prorrogação” leva mais 1,5 mil arrozeiros às agências bancárias

Publicado em 26/05/2011 15:17 317 exibições

Lideranças setoriais do arroz participaram do “Dia da Prorrogação” nesta quinta-feira, 26 de maio. Representantes da orizicultura, capitaneados pela Federação das Associações de Arrozeiros do Rio Grande do Sul (Federarroz), encaminharam documentos aos bancos públicos e privados e aos diretórios municipais do Partido dos Trabalhadores (PT), solicitando a prorrogação dos vencimentos de financiamentos agrícolas de custeio, comercialização e prorrogações, bem como explicando o atual cenário de crise da lavoura arrozeira. 
Segundo o presidente da Federarroz, Renato Rocha, o documento entregue as bases do PT é válido no sentido relatar os prejuízos aos municípios, estado e união, da dimensão do problema do setor, todo o esforço que foi feito nos últimos meses, bem como das demandas federais e estaduais, e por fim pressão junto ao governador do RS, Tarso Genro e a presidente da República, Dilma Rousseff, para atendimento das demandas. “A prorrogação dos vencimentos evita uma pressão de venda agora, o que iria deprimir ainda mais os preços no mercado livre e deixá-los ainda mais longe dos R$ 25,80 do preço mínimo que deveria estar sendo garantido pelo governo”, explica Rocha. 
“Tivemos boa receptividade em todos os bancos que visitamos e na maioria deles os dirigentes manifestaram apoio e solidariedade a ação desenvolvida, pela Federarroz, pois estamos todos no mesmo barco”, revela Rocha.
A Federarroz divulgou modelos de documentos para os produtores, que foram seguidos em dezenas de municípios, pólos da orizicultura em suas regiões. “Centenas de produtores já haviam realizado a entrega anteriormente e certamente outros entregarão ao longo desta e da próxima semana, entendemos que o objetivo da mobilização foi alcançado neste primeiro momento. Falta agora a sensibilização dos políticos e próprio governo”, acrescenta. A Federarroz também alerta para que os produtores não antecipem a entrega dos recibos de depósito, antes do vencimento dos contratos.
Segundo levantamento parcial dos arrozeiros à Federarroz, a mobilização alcançou mais de um mil e quinhentos arrozeiros em pelo menos dezessete municípios, oriundos de Agudo, Alegrete, Arroio Grande, Cachoeira do Sul, Camaquã, Dom Pedrito, General Câmara, Jaguarão, Restinga Seca, São Francisco de Assis, São Gabriel, São Lourenço, Santa Maria, Santa Vitória do Palmar, Santo Antônio da Patrulha, Tapes e Uruguaiana, abrangendo todas as regiões arrozeiras do Rio Grande do Sul.

 

Tags:
Fonte:
Federarroz

0 comentário