Etanol de arroz mais perto da realidade

Publicado em 07/07/2011 17:41 619 exibições
Uso de excedentes em ração animal também é alternativa
O presidente da Federarroz, Renato Rocha, acompanhado do diretor técnico,  José Carlos Gross e Consultor em Agroenergia da entidade, Vilson Machado,  participaram nesta quinta-feira (07/07) de audiência pública na Comissão de  Agricultura, Pecuária e Cooperativismo da Assembléia Legislativa do Rio Grande  do Sul para discutir o uso de arroz e resíduos na produção de etanol e derivados  do álcool. Segundo ele, o evento marcou a consolidação de propostas técnicas e  políticas em torno do uso dos excedentes brasileiros de arroz como matéria-prima  para projetos energéticos.
Essa campanha começou em dezembro passado por  iniciativa da federação.

 Foi muito positivo ver que instituições como o Irga, Embrapa,  Universidades, Secretaria Estadual da Agricultura, Ministério da Agricultura,  através da Secretaria de produção e Agroenergia, Legislativo e Executivo  Estadual e empresas privadas com grande interesse no tema e ainda  desenvolvendo/apoiando projetos técnicos, tanto para produzir energia como para  destinar a ração animal, os excedentes de arroz. A campanha iniciada pela  Federarroz, no final de 2010, através do presidente do Conselho Consultivo, Valter José Pötter, se consolida com apoio técnico, setorial e político”, disse.  Renato Rocha destacou a recente declaração da presidente da República, Dilma  Rousseff, em 05/07 em seu programa de rádio diário, afirmando que o governo  federal através de um Grupo de Trabalho do Governo e entidades, apoiará o uso de  excedentes da lavoura arrozeira para produzir etanol como forma de recuperar os preços do cereal.  

São palavras muito importantes as da presidente Dilma. Demonstram que as  idéias do setor estão sendo assimiladas e sem dúvida serão a salvação da Cadeia  Produtiva do Arroz. A Federarroz, juntamente com a SEAPPA e IRGA, está  subsidiando uma proposta para produção de etanol do cereal na Secretaria de Produção e Agroenergia do MAPA”, revelou.

RAÇÃO - Ainda de acordo com o presidente da Federarroz, Renato Rocha,  outra iniciativa da entidade pelo uso alternativo do arroz, em meio a crise de  preços, está obtendo grande respaldo dos governos. “Realizamos pelo menos cinco  reuniões aqui no estado com a direção do IRGA, SEAPPA e do próprio Vice-Governador, Beto Grill, tratando da destinação dos excedentes do arroz, do  produto de menor qualidade e resíduos para produção de rações animais para  outras cadeias produtivas, este programa envolverá pelo menos quatro  tradicionais cadeias produtivas do
estado: do Arroz, do Milho, das Aves e dos  Suínos, trazendo benefícios sociais e econômicos para ambas e para o RS, pois importamos grande volume de milho de outros estados para atender a demanda  interna, transferindo ICMS e toda despesa da logística para outras regiões,  recurso que poderia ficar no nosso estado.
Informou. Rocha antecipou que nos  próximos dias a Conab fará um leilão de Pepro de arroz para  ração.

As tratativas do governo estadual sobre o tema poderão resultar em  destinação de 1,2 milhão de toneladas de grão para ração de aves e suínos. Foi  uma semente plantada pela Federarroz que pode abrir novos e importantes mercados  para o arroz gaúcho e trazer mais estabilidade de preços ao produto no

Tags:
Fonte:
MAPA

0 comentário