Conab verifica queda de preços da cebola devido produção elevada

Publicado em 18/10/2018 11:40
29 exibições

A cebola continua sem pesar no bolso do consumidor. O produto apresentou a maior queda de preços dentre as hortaliças com maior representatividade na comercialização nas principais Centrais de Abastecimento (Ceasas) do país. Rio de Janeiro foi o estado com índice de queda mais expressivo, registrando baixa de cerca de 33%, seguido de São Paulo, Recife e Goiânia. Os dados estão no 10º Boletim Prohort, divulgado nesta quinta-feira (18), pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), com os preços de frutas e hortaliças das Ceasas.

A tendência de preços baixo vem ocorrendo desde maio e se explica pela maior oferta no atacado. A grande produção está vindo sobretudo das regiões Sudeste, Nordeste e Centro-Oeste. A quantidade de cebola no mercado não é impactada com a maior exportação do produto, principalmente para o Paraguai e a Argentina, que chega a 18 mil toneladas até setembro, um aumento de 274% comparado com o mesmo período de 2017.

Por outro lado, o mamão deve encarecer a compra. Somente a Ceagesp em São Paulo apresentou redução de preços superior a 10%, enquanto nos demais mercados atacadistas houve aumento, chegando a mais de 17% na Ceasa/MG e Ceasa/PE. A variante formosa foi a que mais contribuiu para valorização das cotações no mercado, em virtude da redução de oferta pelo efeito das chuvas que afetaram a produtividade nas principais regiões produtoras nos meses anteriores. O mamão papaya também teve redução de oferta, sem no entanto aumentar a cotação, pois a demanda foi limitada pelo clima frio no Sul e Sudeste. No entanto, espera-se para este mês uma oferta maior da fruta, com reflexo na redução de preços.

As demais análises de comercialização das principais frutas e hortaliças podem ser encontradas no Boletim divulgado na página da Conab. O levantamento é feito mensalmente pelo Programa Brasileiro de Modernização do Mercado Hortigranjeiro (Prohort) da Companhia, a partir de informações fornecidas espontaneamente pelos grandes mercados atacadistas do país. Para a análise do comportamento dos preços de setembro, foram considerados os entrepostos dos estados de SP, MG, RJ, ES, CE, PE e GO.

Clique aqui para acessar o boletim.

Tags:
Fonte: Conab

Nenhum comentário