Chuva faz preço da verdura subir 13% nos supermercados de SP

Publicado em 04/02/2010 16:01 781 exibições

Os preços das verduras dispararam nos supermercados do estado de São Paulo durante o mês de janeiro. A alta média foi de 13,47% e, em parte, é resultado das chuvas, que provocaram perdas nas lavouras e dificultaram a distribuição dos alimentos.

A conclusão é de pesquisa da Apas (Associação Paulista dos Supermercados), feita em parceria com a Fipe (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas) e divulgada nesta quinta-feira.

"As fortes chuvas nas regiões produtoras que vem ocorrendo desde o segundo semestre de 2009 são a principal causa do aumento de preços", avalia o vice-presidente de comunicação da Apas, Martinho Paiva Moreira.

As maiores altas entre as verduras foram do alface (18,13%), repolho (15,4%) e do coentro (15,03%).

No acumulado dos últimos 12 meses, o reajuste médio ficou em mais de 12%, sendo que o espinafre (37,90%), coentro (34,46%) e salsa e cebolinha (33,68%) foram os que ficaram mais caros.

Além das verduras, também houve aumentos expressivos de algumas frutas e legumes durante janeiro. As principais foram o abacaxi (25,23%), laranja (22,88%), vagem (48,62%), chuchu (25,91%) e a abobrinha (36,46%). A melancia teve alta de 11,83% no período.

Os custos destes produtos influenciaram a alta de 1,05% no mês passado, registrada pelo IPS (Índice de Preços dos Supermercados). O preço de todos alimentos subiu 1,28%, das bebidas 1%, dos produtos de limpeza 0,26% e dos artigos de higiene e beleza 0,18%.

Entre os produtos que ficaram mais baratos, estão o frango especial (-21,41%), óleos (-2,24%) e aves (-2,21%). No acumulado de doze meses, a maior queda observada foi do feijão (-31,73%) e a maior alta, do açúcar (67,87%).

Veja quais foram as maiores altas de preços em janeiro

Vagem -- 48,62%
Abobrinha -- 36,46%
Chuchu -- 25,91%
Abacaxi -- 25,23%
Laranja -- 22,88%
Alface -- 18,13%
Repolho -- 15,40%
Coentro -- 15,03%
Melancia -- 11,83%

Tags:
Fonte:
Folha Online

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário