Agricultores de Guaíra (SP) investem no cultivo do tomate

Publicado em 24/05/2010 08:05 980 exibições
Uma aposta que promete melhorar a renda no campo.
Aos poucos, a paisagem rural da soja, milho e feijão vai se alterando em Guaíra. Agora o tomate é a opção de Inverno para muitos agricultores.

A família de Maurício Ferraz Gonçalves, que produziu durante quatro anos seguidos na década de 90, voltou a investir na variedade rasteira. A lavoura, com 65 dias, ocupa 31 hectares. Com pulverização preventiva e acompanhamento constante, os frutos estão se desenvolvendo muito bem: "Não tem opção, o preço do milho está ruim, tem que diversificar o plantio", diz o produtor Maurício.

O que motivou agricultores como Maurício foi a vinda de uma indústria para a cidade. Seu Romualdo Ortigoso e o genro decidiram aumentar a área plantada de 25 para 46 hectares, substituindo o que seria feijão. Se nada atrapalhar, no final de Julho eles esperam colher 100 toneladas por hectare: "Agora mesmo muda, porque todo mundo vai plantar feijão e o preço vai cair, vamos esperar que o tomate seja uma boa opção", diz o produtor

O contrato dos produtores com a indústria é de exclusividade e vale por quatro meses. Os agricultores só se responsabilizam pela mão de obra durante o cultivo e, se necessário, pela irrigação. A empresa providencia o plantio, os defensivos, assistência técnica, colheita e transporte. Tudo é descontado no final e o preço da tonelada sai por 145 reais.

"Eles fornecem toda a parte de insumos e venenos, a gente só entra com a mão de obra, a irrigação. Então o tomate acaba sendo uma boa opção para a lavoura", afirma o produtor rural Leandro Casagrande.

Por conta da proposta da indústria, a área destinada à lavoura de tomate em Guaíra mais que triplicou do ano passado para cá. Passou de 300 para mil hectares. E a previsão é chegar a 3 mil até 2012.

O engenheiro agrônomo Renato Massaro mostra como a planta se desenvolve bem na região e explica a importância da oportunidade para os agricultores: "A agroindústria para o nosso município foi muito importante, há muitos anos não se tinha essa proposta, e para os produtores rurais é mais uma opção de cultura. Logo após a cultura vem o milho doce, uma rotação perfeita que com certeza o produtor rural vai obter êxito", afirma Massaro.

Tags:
Fonte:
EPTV

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário