Novas fronteiras ampliam força do morango gaúcho

Publicado em 21/09/2010 08:10
584 exibições
Aumentar a produção gaúcha de morango no verão e diminuir a quantidade de mudas importadas da Argentina e do Chile são os principais objetivos do setor para estimular a competitividade do produto. A ideia é ampliar o consumo do morango gaúcho no mercado, antes da chegada de frutas vindas de Minas Gerais e São Paulo, principais produtores. Para isso, a Embrapa Clima Temperado busca desenvolver técnicas que melhorem o cultivo de verão e incentiva o plantio em zonas mais frias do Estado, como Piratini, Pinheiro Machado, Caxias do Sul e Vacaria. "Estas regiões têm condições climáticas favoráveis, com verões com dias quentes e noites mais frias", comenta o pesquisador de agrometeorologia da Embrapa Clima Temperado Carlos Reisser Jr. Ele explica que o plantio acontece em março, com picos de produção em agosto. "MG e SP param de produzir em dezembro. Daí a importância de ganhar o mercado no verão." Este e outros temas serão abordados no 5 Simpósio Nacional do Morango, que começa hoje e vai até quinta-feira na unidade da Embrapa em Pelotas.

Segundo o pesquisador Luiz Eduardo Antunes, o RS é o terceiro maior produtor de morangos do país, com 500 hectares cultivados. O investimento médio por ha é de R$ 50 mil e o risco de perdas é alto. O Brasil produz, em média, cem mil toneladas de morango em aproximadamente 4 mil hectares. O RS é responsável por 15% da produção nacional. "Do total investido, cerca de R$ 6 mil é em agrotóxicos. O restante consiste em mudas e irrigação". Em cada ha são plantadas até 40 mil mudas, sendo que cada uma produz até um quilo de morango. Para a especialista em melhoramento, Ana Claudia Oliveira, a maior preocupação é reduzir o uso de agrotóxicos. "As principais perdas estão relacionadas a pragas como o ácaro e o apodrecimento do fruto."
Tags:
Fonte: Correio do Povo

Nenhum comentário